Topo

Copa do Mundo Feminina - 2019


Sem Marta, Cristiane marca três e Brasil vence Jamaica na estreia da Copa

REUTERS/Denis Balibouse
Cristiane comemora gol do Brasil contra a Jamaica Imagem: REUTERS/Denis Balibouse

Ana Carolina Silva

Em Grenoble, na França

2019-06-09T12:22:31

09/06/2019 12h22

Como acontece desde a primeira participação em Copas do Mundo de futebol feminino, a seleção brasileira estreou com vitória hoje (9). No Stade des Alpes, as brasileiras enfrentaram o jovem time da Jamaica, que disputa o torneio pela primeira vez, e venceram por 3 a 0. Os três gols foram feitos por Cristiane, que já assume a artilharia da competição. Desde 1991, o Brasil sempre vence o primeiro jogo de Mundiais.

Sem contar com Marta, que se recupera de lesão, a seleção apresentou bom futebol ofensivo. Andressa Alves, camisa 7, e Cristiane, camisa 11, assumiram a responsabilidade e conduziram a seleção ao ataque. Cristiane abriu o placar e ampliou com assistências de Andressa. No segundo tempo, em cobrança de falta, a artilheira sacramentou a vitória brasileira e tranquilizou a equipe após nove derrotas seguidas.

Com o resultado, o Brasil somou os primeiros três pontos e assumiu a liderança do Grupo C, à frente da Itália, também com três pontos. Já a Jamaica, sem pontuar, aparece em último lugar. A seleção volta a campo na quinta-feira (13), contra a Austrália, às 13h (de Brasília).

Melhores: Andressa Alves e Cristiane

Camisa 10 do Barcelona e 7 do Brasil, Andressa Alves dividiu o protagonismo da seleção sem Marta e não sentiu a pressão. No primeiro tempo, deu assistência para o gol de Cristiane e belos passes para as companheiras. Porém, teve oportunidade de deixar sua marca e desperdiçou pênalti, que terminou com a defesa da goleira Schneider.

Principal nome do ataque brasileiro, Cristiane foi a autora dos gols brasileiros. Logo na volta do segundo tempo, recebeu cruzamento rasteiro de Andressa e ampliou para o Brasil. Em cobrança de falta, fez o terceiro. Ainda se posicionou bem e incomodou a defesa jamaicana.

Pior: Plummer

Capitã da Jamaica, a jovem Konya Plummer não foi bem na partida. No primeiro tempo, levou cartão amarelo. Comandando a linha defensiva, a jamaicana não conseguiu parar o ataque brasileiro, que apareceu diversas vezes nas costas da zaga.

REUTERS/Denis Balibouse
Imagem: REUTERS/Denis Balibouse

Com faro de artilheira, Cristiane decide

Cristiane não atuava pela seleção desde a Copa América de 2018, mas voltou mostrando seu faro de artilheira característico. Com o Brasil melhor em campo, a dupla Andressa Alves e Cristiane apareceu em grande estilo. No primeiro tempo, pelo lado esquerdo, a meia levantou bola na medida para a centroavante testar no canto esquerdo da goleira Schneider, que não conseguiu chegar.

No segundo tempo, com apenas quatro minutos, Andressa foi à linha de fundo e cruzou rasteiro. A bola sobrou nos pés de Cristiane, bem posicionada, que escorou para o gol; a defesa da Jamaica ainda tentou tirar, mas a bola já havia ultrapassado a linha. Antes de ser substituída, ainda deu tempo de Cristiane marcar o terceiro, em cobrança de falta.

A artilheira é do Brasil

Com o terceiro gol, Cristiane assumiu a artilharia isolada da Copa do Mundo. Superou a francesa Renard, a italiana Bonansea e a espanhola Hermoso (cada uma fez dois gols na primeira rodada). Com os gols feitos neste sábado, Cristiane chegou à marca de 10 tentos em Mundiais e está atrás apenas de Marta, com 15.

Seleção encontra "atalho" no primeiro tempo

Mesmo com os três cortes recentes (Adriana, Fabiana e Erika, lesionadas) e com retrospecto recente de nove derrotas seguidas, a seleção mostrou um bom futebol no primeiro tempo. Com Andressa Alves comandando o meio de campo brasileiro, o time encontrou a defesa rival mal posicionada, apostando em uma linha de impedimento que funcionou em apenas um momento durante os primeiros 45 minutos.

Com lançamentos diagonais que "quebravam" a linha defensiva da Jamaica, Andressa conseguiu deixar as companheiras livres no ataque. Na melhor oportunidade, Debinha tentou driblar a goleira Schneider, mas viu a arqueira sair muito bem do gol e ficar com a bola.

REUTERS/Emmanuel Foudrot
Imagem: REUTERS/Emmanuel Foudrot

Goleira de 19 anos pega pênalti e se destaca

Com apenas 19 anos, Schneider mostrou qualidade na estreia da Jamaica em Mundiais. Com a defesa mal posicionada, a número 1 foi bem exigida e conseguiu parar ataques do Brasil, ao defender arremates de Andressa Alves e Bia Zaneratto. Quando a arbitragem assinalou pênalti para o Brasil após toque de mão da defensora jamaicana dentro da área, Schneider voltou a se destacar. Na cobrança, Andressa Alves bateu mal e Schneider, com tranquilidade, defendeu no canto direito.

Brasil controla o segundo tempo

A Jamaica voltou ao segundo tempo imprimindo mais velocidade, mas pouco produziu. Nos primeiros minutos, chegou a assustar a goleira Bárbara, e fez com que o Brasil acordasse e respondesse rapidamente. Com Cristiane inspirada, a seleção ampliou com dois gols da artilheira.

Após o gol, com Cristiane e Bia Zaneratto substituídas, o Brasil diminuiu o ritmo de jogo e não foi pressionado pela Jamaica, controlando o meio de campo. Nos últimos minutos, Ludmila mostrou habilidade e quase fez o quarto, mas, cara a cara com Schneider, mandou para fora.

Brasileiros enchem estádio e gritam nome de Cristiane

O Stade des Alpes, em Grenoble, esteve cheio para a partida, e a torcida brasileira festejou desde a caminhada até os portões, com direito a percussão, até a saída. Dentro do estádio, como tem ocorrido em outros jogos do Mundial, o locutor convidou o público a fazer bastante barulho - enquanto isso, o telão mostrava quantos "decibéis" o som dos torcedores conseguia atingir.

A "ola" fez parte da festa brasileira nas cadeiras. Mesmo sem entrar em campo, Marta foi a mais ovacionada antes do jogo, durante o aquecimento. Na descida para o intervalo e após o apito final, foi a vez de Cristiane, autora dos três gols, ter o nome gritado pelo público.

Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images
Imagem: Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images

Lesionada, Marta fica no banco

Marta não se recuperou a tempo de lesão muscular na coxa esquerda e ficou fora da partida. A camisa 10 realizou sessões de fisioterapia desde que a seleção chegou à Europa para se preparar para o torneio, mas não reuniu condições ideais de jogo. Mesmo com as adversidades, a craque, eleita seis vezes a melhor jogadora do mundo, participou do aquecimento da seleção e permaneceu no banco de reservas, com o objetivo de incentivar suas companheiras.

Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images
Imagem: Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images

Formiga bate recorde na Copa do Mundo

A meio-campista Formiga entrou em campo neste sábado e bateu um recorde entre mulheres e homens: participou de sua sétima Copa do Mundo. Quando Formiga participou de sua primeira Copa, em 1995, 12 das 23 jogadoras da Jamaica sequer haviam nascido - e 150 jogadoras da Copa, no total, não eram nascidas. Aos 41 anos, Formiga é a atleta mais experiente da seleção, que tem média de idade de 27,96 anos, a segunda mais alta da competição.

Em ritmo de samba

A seleção brasileira chegou ao Stade de Alpes com as atletas tocando instrumentos e fazendo uma "roda de samba". Marta, fora da partida, comandou a batucada, que teve como refrão a frase "o futebol é pra mulher". Pelo lado das Reggae Girlz, as jogadoras chegaram no estádio dançando e cantando, mostrando muita animação da jovem seleção.

Boletim da Copa do Mundo: as pedreiras começam agora

UOL Esporte

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3 X 0 JAMAICA
Data: 09/06/2019
Local: Stade des Alpes, Grenoble (FRA)
Hora: 10h30 (de Brasília)
Árbitro: Riem Hussein (ALE)
Assistentes: Kylie Cockburn (ESC) e Mihaela Tepusa (ROM)
VAR: Bastian Dankert (ALE)
Público: 17.688 (torcedores)

Cartões amarelos: Formiga e Daiane (Brasil) e Plummer (Jamaica)

GOLS: Cristiane aos 15'/1ºT, 4'/2ºT e 18'/2ºT (Brasil)

BRASIL: Barbara; Letícia, Kathellen (Daiane), Mônica e Tamires; Thaisa, Formiga, Andressa Alves e Debinha; Bia Zaneratto (Geyse) e Cristiane (Ludmila)
Técnico: Vadão

JAMAICA: Schneider; Bond-Flasza, Plummer, A. Swaby e Blackwood; C. Swaby, Solaun, Sweatman; Matthews (Brown), Shaw e Carter (Cameron)
Técnico: Hue Menzies

Mais Copa do Mundo Feminina - 2019