Topo

Flamengo

Calendário pode passar de aliado a vilão no início de Jesus no Flamengo

Alexandre Vidal / Flamengo
Técnico Jorge Jesus é apresentado como novo técnico do Flamengo Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

2019-06-11T04:00:00

11/06/2019 04h00

Apresentado ontem (10), o técnico Jorge Jesus vai fazer a estreia à frente do Flamengo apenas no dia 10 do próximo mês, quando a equipe rubro-negra vai encarar o Athletico-PR, pelas quartas de final da Copa do Brasil, na Arena da Baixada. Porém, se o calendário, inicialmente, se mostra um aliado do treinador português, uma vez que assume o time durante a paralisação para a disputa da Copa América, pode, posteriormente, ser um obstáculo, já que julho, talvez, seja o mês mais importante da temporada até o momento.

A contar do primeiro desafio à beira do gramado, Jesus terá, em 21 dias, sete jogos no comando do time, sendo quatro válidos por competições mata-mata - dois contra o Furacão, na Copa do Brasil, e mais dois contra o Emelec, do Equador, pelas oitavas da Libertadores. Além disso, confrontos contra Goiás, Corinthians e Botafogo, pelo Brasileiro.

Desta forma, Jesus precisará mostrar resultados quase que imediatamente, já que "decide a vida" em duas competições e precisa acumular pontos no Brasileiro para encostar no líder Palmeiras.

Vale lembrar que esta será a primeira experiência de Jorge Jesus no Brasil - a segunda fora de Portugal, treinou o Al-Hilal, da Arábia Saudita, no ano passado -, o que exige um tempo de adaptação. Na apresentação oficial, ponderou positivamente o tempo que terá de trabalho e salientou que conhece o elenco do Flamengo, avisando que acompanhava o Campeonato Brasileiro no país de origem dele, pela televisão, e revelando que indicou um ou dois reforços do que o pensado inicialmente pela cúpula do Rubro-Negro.

"Claro que conheço o elenco. Não vi o Flamengo a partir do momento que veio o convite, vejo todos os jogos do futebol brasileiro em minha casa. Não conheço tão bem os jogadores como o Marcelo (Salles, auxiliar e que está como técnico interino), mas vou conhecer. Quando conversamos, já tinha posições que pensavam ser importante contratar e concordei. Acrescentei mais um ou dois (risos)... Estamos em sintonia", disse.

Apenas a título de comparação, no meio do ano passado, quando assumiu o Al-Hilal, primeiro clube que comandou fora de Portugal, Jesus estreou no dia 12 de agosto, contra o Al-Shabab Seeb, de Omã, pela Liga dos Campeões da Arábia, e atingiu sete partidas à frente do time no dia 29 do mês seguinte, contra o mesmo Al-Shabab Seeb. Neste meio tempo, encarou jogos pela Super Taça da Arábia Saudita e da Liga Nacional. Foram sete vitórias consecutivas.

Também por curiosidade, na temporada anterior (2017/2018), à frente do Sporting, de Portugal, o início foi no dia 6 de agosto, contra o Desportivo das Aves, pelo Campeonato Português, e atingiu sete partidas no dia 8 do mês seguinte, contra o Feirense, também pelo nacional. Neste tempo, dois jogos contra o Steaua Bucuresti, da Romênia, pela Liga dos Campeões. Foram seis vitórias e um empate.

Grama sintética

Jorge Jesus vai fazer a estreia pelo Flamengo com um "obstáculo" extra: a grama sintética que é utilizada na Arena da Baixada, casa do Athletico-PR.

"A realidade é essa: jogar em um campo sintético. Poucos treinadores no mundo têm essa experiência. Já tive um jogo de Champions na Rússia, é completamente diferente. Temos de nos adaptar. Talvez, fazer algum treino, mas temos de levar em consideração que trocar a grama para o sintético pode gerar lesões".