Topo

Bruno Silva acusa Vasco de tê-lo forçado a sair e de ficar sem salários

Volante Bruno Silva se desligou do Vasco por intermédio da Justiça do Trabalho  - Thiago Ribeiro/AGIF
Volante Bruno Silva se desligou do Vasco por intermédio da Justiça do Trabalho Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

12/06/2019 17h39

O volante Bruno Silva conseguiu, por intermédio da Justiça, se desligar do Vasco para acertar com o Guarani. O que chamou a atenção, porém, foi o conteúdo de sua ação trabalhista na 1ª região do Tribunal Regional do Trabalho ao qual o UOL Esporte teve acesso. Nela, seu corpo jurídico inclui uma suposta mensagem de áudio transcrita onde o gerente de futebol, André Souza, teria tentado convencer o jogador a aceitar um empréstimo. No texto, há frases destacando, entre outras coisas, que o atleta ficaria sem receber salários em dia e treinaria em horários alternativos.

Confira o trecho retirado a partir da folha 5 da ação:

"Continua o dirigente no momento 6:30:

"Você tem todo o direito de ficar no Vasco até dezembro (de 2019). Só que tu vai treinar no "contraturno", vai se "descondicionar" fisicamente, vai parar de ser visto pelo mercado, vai ficar 7, 8 meses parado e quando for buscar algo no início do ano, vai ser outro processo na carreira...".

Trecho da ação trabalhista de Bruno Silva em que há uma transcrição de um suposto áudio - Divulgação
Trecho da ação trabalhista de Bruno Silva em que há uma transcrição de um suposto áudio
Imagem: Divulgação

E no momento 8:35:

"Aqui a gente tá com essa situação de salário atrasado - não vai se resolver, você sabe disso, não vai se resolver da noite para o dia isso, vai persistir, você tem família, tem filho, tem uma galera por trás de você ..."

Ainda, a partir do momento 11:30, continua sobre o futuro do Reclamante na hipótese de escolher manter seu vínculo com o Reclamado até o prazo final do contrato celebrado entre as partes:

"Vai ser uma situação que vai se estender, teu contrato vai terminar, tu não vai ter recebido, óbvio que tu vai ter que buscar na justiça para receber isso, porque teu contrato terminou, o clube não te paga, vai ter que entrar na justiça para receber. É claro isso! Entendeu? Aí, que que vai acontecer? Tu vai perder os honorários advocatícios, vai ter perdido 7, 8 meses aqui, treinando a parte, entendeu? Eu não sei se financeiramente compensa essa depreciação que vai ser para você..."

E no momento 14:01:

"Desses 7 meses de salário, o Vasco vai te pagar 3, 4 salários, vão ficar 3 pra trás, vai ficar 13º pra trás, entendeu? E depois tu vai ter que buscar na justiça para buscar esse valor. É natural isso!".

Volante acusa 7 meses sem recolhimento de FGTS

Porém, o que concedeu a Bruno Silva o litígio provisório com o Vasco foi a questão da falta de pagamentos. A ação alega que o volante não recebeu salários de CLT e imagem dos meses de março, abril e maio de 2019, além de não recolhimento de sete meses de FGTS.

Vasco se pronunciará nos autos

O UOL Esporte procurou o Vasco, que por intermédio de nota oficial, informou que só irá se pronunciar em juízo:

"O Club de Regatas Vasco da Gama informa que, atendendo orientação de seu Departamento Jurídico, só irá se pronunciar oficialmente sobre este caso nos autos do processo, em respeito ao Judiciário e de modo a não prejudicar sua estratégia de defesa".