Topo

Internacional

D'Alessandro vai para recesso em alta e já fala em renovar com Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

2019-06-13T04:00:00

13/06/2019 04h00

O Inter terminou a primeira parte da temporada em paz. Mesmo que não tenha conquistado o título gaúcho, o Colorado não enfrentou crises e atingiu os objetivos de classificação na Copa do Brasil e Libertadores e de boa campanha no Brasileiro. E quem mais tem a celebrar na ida para o recesso é D'Alessandro. Aos 38 anos, o gringo reassumiu total protagonismo no time e está pensando até em renovar contrato.

Contra o Bahia, D'Ale completou 450 jogos com a camisa do Inter. Poderá, até o fim do ano, aparecer entre os três jogadores que mais atuaram pelo clube na história.

E dentro de campo, depois de conviver com a reserva, lesões e alguns períodos suspenso em 2018, retomou o protagonismo que lhe acompanhou na maior parte do tempo. Foi dele o último gol contra o Bahia, mas não apenas a bola na rede chamou atenção na partida. Dribles, passes e até contribuição defensiva.

"Não é qualquer profissional em qualquer esporte que tem o tempo que ele tem dentro de um clube, com títulos, fazendo história. O que temos que fazer é reverenciar e tratar ele como o ídolo que é. Há um diálogo aberto, verdadeiro, ele tem o entendimento do que precisa. É um cara inteligente, que tem um corpo que o ajuda. É extremamente profissional, se cuida, e nosso entendimento ajuda no processo. Conversamos muito, com todos os departamentos, e a relação no grupo, com o treinador, é muito boa. Aqui o maior sempre será a vitória, o coletivo, e ele está muito dentro deste processo", disse o técnico Odair Hellmann.

Foi o 21º jogo do gringo na temporada e seu primeiro gol no ano. E mesmo que a carreira pareça no fim, ele mesmo faz questão de falar que pode ter novos capítulos na história de ligação ao Internacional.

"Quem me conhece bem, sabe o quanto eu trabalho para merecer as coisas. Ninguém deu nada de graça na minha vida. Sempre corri atrás das coisas. Errando, acertando, mas sempre corri atrás. Sempre faço por merecer, ao menos eu tento. A mensagem que eu passo é que nada vem de graça, tem que tentar, em qualquer esporte, como na vida, temos que trabalhar, ter dedicação. Sou profissional e isso é a base da minha carreira. São 11 anos no clube, e a gente vai conquistando as coisas. Não os títulos, porque eles são consequência do trabalho. Vamos conquistando carinho, amizade, coisas que levamos para a vida, relacionamento com o clube, funcionários... Vocês sabem que futebol é resultado, e trabalhamos para ter isso", afirmou.

E todo este ambiente positivo pode não acabar ao fim do ano. Mesmo que tenha contrato perto do fim, D'Alessandro admite a chance de ampliar a carreira e a permanência no Inter.

"O que eu posso falar é que ainda sou atleta, minha cabeça pensa como atleta. Obviamente que pensando no futuro, temos duas vidas no futebol, uma de atleta, que sei que está acabando, tenho 20 anos de carreira, e outra depois disso. Mas falo agora que não vou parar. Agora, se precisa de uma resposta, é essa. Mas não sei o que vai acontecer ao final do ano. Quando está chegando o final, a gente vive o dia a dia, mês a mês, ano a ano, semana a semana. Fico feliz por não ter problemas físicos, pelo trabalho que fizemos, me cuido em dobro para aguentar a sequência de jogos. Estou feliz e aproveitando a cada momento. Quando chegar o final do ano, minha relação com o clube é bem clara. O Inter faz parte da minha vida, nunca vou deixar o Inter, o clube faz parte da minha história, da minha carreira, como o River, por isso me emociono. De minha parte não vai ter pressão para renovar com D'Alessandro. Vamos ver se é possível ou não. Não tenho nada para reclamar, apenas para aproveitar o momento", comentou.

A direção do Inter trata o tema com a mesma tranquilidade de D'Ale. Cientes que uma negociação para ampliação do vínculo pode ser aberta mais tarde, não houve qualquer movimento para antecipar as coisas. Ambos os lados têm interesse na prorrogação da ligação, que pode se desenhar após o encerramento das competições, em dezembro.

Mas, como disse D'Alessandro, o futuro imediato é mais importante no momento. E o recesso das competições de clubes para realização da Copa América coloca o elenco do Inter de folga. Depois dos dias liberados, os jogadores se reapresentam para intertemporada na cidade de Atibaia, em São Paulo.