Topo

Fluminense

Flu chega à Copa América com pior defesa do BR e tem dever de casa na pausa

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-06-14T04:05:00

14/06/2019 04h05

Na beira da zona do rebaixamento (na 16ª colocação) do Brasileiro após o empate por 1 a 1 contra a Chapecoense, o Fluminense chega à pausa da Copa América com a pior defesa da competição (ao lado do Cruzeiro, com 16 gols contra) e terá a missão de "fechar a casinha" durante este período sem jogos.

Fiel ao estilo proposto por Fernando Diniz, a equipe tem demonstrado problemas na hora de se reorganizar defensivamente e foi deficiente no jogo aéreo diante da Chape. Com um meio de campo de pouca pegada, Allan (ou Airton) tem de se desdobrar para segurar a onda no setor.

É bem verdade que o comandante tricolor tem de lidar com uma situação nada comum, já que Léo Santos, Matheus Ferraz e Digão sofreram lesões sérias e estão fora. Sem eles, o volante Yuri foi improvisado e jogou ao lado de Nino em Chapecó. As outras opções são Frazan e o jovem Luan.

"Temos mexido muito no time, isso é uma das coisas que acaba dificultando", admitiu o comandante.

Se no miolo da zaga a situação é de poucas opções, a lateral esquerda também não oferece peças que tenham a confiança irrestrita do técnico. Mesmo com os "especialistas" Marlon e Mascarenhas disponíveis, o tricolor "achou" Caio Henrique na posição e ele tem sido titular desde o início do ano por ali.

Apesar desta "incômoda" liderança no ranking das defesas mais vazadas, o Tricolor, mais uma vez, saiu de uma partida com a certeza de que foi superior ao rival, mas não venceu. Contra o Alviverde, o time reescreveu um roteiro já conhecido contra Botafogo, Flamengo e Goiás, por exemplo. Questionado sobre este filme repetido, ele apontou a "saída":

"Tem de fazer gol e não tomar gol. É uma pergunta muito fácil de responder. Não tem uma solução mágica, é trabalhar em todas as frentes. A parada será bem-vinda".

O time terá alguns dias de descanso antes de retomar o trabalho. No dia 14 de julho, o Flu recebe o Ceará, no Maracanã.