Topo

Internacional

Inter aposta em evolução de jovens e esfria chance de reforçar a zaga

Ricardo Duarte/Inter
Roberto agradou em mais uma chance no time principal do Internacional Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

2019-06-14T04:00:00

14/06/2019 04h00

O Internacional crê que não precisa investir em zagueiros. Com dois titulares prontos, um reserva imediato e dois jovens promissores, o técnico Odair Hellmann entende que tem material humano suficiente para longos anos.

Cuesta e Moledo são incontestáveis. Emerson Santos é o primeiro suplente, porém pertence ao Palmeiras e a sua manutenção dependerá de uma negociação ao fim da temporada. Mas a situação será tratada com total tranquilidade.

Tudo em razão do rendimento dos mais jovens. Roberto e Bruno Fuchs mostraram qualidade nos treinos, personalidade, e ganharam espaço no grupo.

Ainda que Bruno não tenha estreado no time principal, o chamado para o Torneio de Toulon com a seleção brasileira sub-23 e os treinamentos que realizou com o time de Tite respaldaram o bom processo de formação dele. Mais jovem, com 20 anos, o jogador é visto como valioso para o futuro e está evoluindo nos treinamentos.

Já Roberto, de 21 anos, foi elogiado após o oitavo jogo no time principal. Contra o Bahia, na última partida antes do recesso, teve atuação sólida e recebeu aplausos do técnico colorado.

"Ele fez um jogo extremamente seguro. É mais um jogador da base em condições de jogar a qualquer omento. Eu já tinha falado isso. Ele, durante um treinamento há algum tempo, veio falar comigo, perguntar o que eu achava da caminhada dele, porque é um menino muito profissional, dedicado, inteligente, veio me perguntar sobre isso, o que precisava evoluir. Eu falei que estava mostrando uma personalidade muito grande no dia a dia. Que não perdesse isso. Que respeitasse todos, mas que jogasse com força, intensidade nos treinos, porque quando chegasse a oportunidade, teria que ser assim. Hoje (contra o Bahia), com um jogador como o Fernandão pela frente, se entra mais ou menos, perde a jogada. Quando terminar o treino, faz um pouco mais, porque ainda está conquistando seu espaço. Eu disse para ele que tinha certeza que a oportunidade apareceria e que ele estaria preparado para dar uma boa resposta. E foi o que aconteceu. Ficamos felizes. É um jogador muito firme, de personalidade, que está cada vez mais presente no grupo", elogiou o treinador.

Ainda há mais um defensor no elenco. Trata-se de Klaus, que está atrás na fila e teve poucas chances neste ano. O jogador recebeu, inclusive, sondagens de outros clubes para se transferir, mas preferiu permanecer no Colorado.

Negociação esfria por Adryelson

Com isso, as conversas para a chegada de Adryelson, do Sport, esfriaram. Apenas nas próximas semanas é que o contato pode ser retomado para isso. No entanto, o rendimento dos mais jovens afasta a possibilidade de contar com ele, que havia até acertado os termos de transferência com o time gaúcho mas não houve acordo com o detentor de seus direitos.