Topo

Vasco

Pupilo de Luan deixa 2018 para trás e recupera espaço no elenco do Vasco

Thiago Ribeiro/AGIF
Ricardo Graça, jogador do Vasco, comemora seu gol durante partida contra o Avai pelo campeonato Brasileiro 2019 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

2019-06-17T04:00:00

17/06/2019 04h00

Ricardo Graça terminou o período antes da paralisação do Campeonato Brasileiro em alta no Vasco. Com boas atuações, o zagueiro, que é pupilo de Luan, hoje no Palmeiras, deixou para trás a última temporada e reconquistou espaço no elenco, tornando-se, de quebra, "símbolo" da geração 97 da categoria de base do Cruzmaltino.

Ano passado, Ricardo Graça começou como titular, tendo atuado tanto no Campeonato Carioca quando na fase preliminar da Libertadores. No decorrer da temporada, porém, sob o comando do técnico Zé Ricardo e, principalmente, Alberto Valentim, as chances ficaram mais escassas.

Em 2019, começou apenas como opção, mas, com a lesão de Leandro Castán, um dos líderes do elenco, recebeu nova oportunidade e conseguiu agarrar, não saindo mais da equipe. Ele, inclusive, fez dois gols neste período, contra o Santos, pela Copa do Brasil, e Avaí, pelo Campeonato Brasileiro - até então, nunca havia balançado a rede como profissional.

Desta forma, o zagueiro fez com que as críticas vindas das arquibancadas se transformassem em elogios nos últimos jogos.

E inspiração para manter a boa fase não falta. Ricardo Graça é pupilo de Luan, cria da base do Vasco e que hoje está no Palmeiras. Quando o campeão olímpico deixou São Januário, no começo de 2017, apontou o jovem como um zagueiro promissor e chegou a citá-lo publicamente em uma entrevista. Depois, o próprio Ricardo lembrou as palavras do amigo e salientou a relação entre os respectivos começos das carreiras.

"Tive a felicidade de falar com o Luan e agradecê-lo por tudo. Ele me ligou e repetiu tudo que sempre me disse em São Januário: para manter os pés no chão e sempre trabalhar forte, pois a oportunidade chegará no momento. Lembrou também que começou como titular, mas depois foi para o banco e acabou retornando ao juniores, mas não se abalou com isso. Seguiu treinando firme e aguardando uma chance. Quando ela veio, não saiu mais. O Luan, assim com o próprio Dedé, foi paciente e demorou para se firmar no time. Eu também vou ser. Não preciso ter pressa, pois sei que o Vasco tem um ótimo planejamento para mim", disse Ricardo Graça, em abril de 2017, em entrevista ao site oficial do Vasco.

Ricardo não é a única cria da base do Vasco a estar no elenco profissional, mas se tornou o principal nome da "geração 97", que tinha jogadores apontados com certo destaque, mas que ainda não engrenaram, como Bruno Cosendey, hoje no Criciúma, e Caio Monteiro, que está no elenco profissional cruzmaltino, mas ainda não atuou este ano.