Topo

Atlético-MG

Atlético-MG vê assédio sobre Guga aumentar, mas não quer liberar o lateral

Pedro Souza/Atlético-MG
Lateral Guga perdeu os últimos jogos do Brasileirão, mas voltará ao time como campeão do Torneio de Toulon Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-06-19T04:00:00

19/06/2019 04h00

Apesar de não ter recebido nenhuma proposta oficial, o Atlético-MG já vê crescer o assédio do Galatasaray pelo lateral direito Guga. Apesar do interesse gringo noticiado pelos portais turcos, o clube mineiro vai fazer jogo duro em caso de procura, e quer segurar o garoto o máximo possível.

Guga foi contratado junto ao Avaí e custou cerca de R$ 8 milhões no início deste ano. Ele assinou um contrato com validade até dezembro de 2022. Segundo apuração do UOL, a ideia da diretoria atleticana é de ficar com o jogador de 20 anos por pelo menos mais uma temporada.

Quando chegou ao Atlético, Guga era o nome mais cotado para ficar com a vaga do lateral Emerson, que seria vendido logo em seguida ao Barcelona por 12,1 milhões de euros (cerca de R$ 50 milhões). A intenção da diretoria ao trazer Guga era de conseguir fazê-lo tomar o mesmo caminho do antigo companheiro: valorizar seu preço jogando pelo Galo e receber uma alta proposta do exterior. Até o momento, porém, a cúpula alvinegra ainda acha cedo demais para se desfazer do seu lateral, a não ser que um valor muito acima do habitual seja oferecido pelo atleta.

Até aqui, Guga já realizou 24 jogos pelo Atlético. O jogador perdeu os últimos jogos do Brasileirão porque estava com a seleção olímpica do Brasil disputando o Torneio de Toulon. Mesmo prestigiado após o título com a seleção e o assédio europeu, o lateral se reapresentará ao Galo no próximo dia 24 sem a garantia da titularidade. Hoje, a lateral direita do Galo é ocupada por Patric, que já foi muito criticado na equipe, mas que deixou a má fase para trás e hoje está em lua de mel com a torcida.