Topo

Flamengo

"Eu escolhi o Flamengo", diz Rafinha em sua apresentação no Rubro-Negro

Bruno Bráz/UOL
Lateral direito Rafinha é apresentado pelo Flamengo ao lado de dirigentes do clube Imagem: Bruno Bráz/UOL

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-06-25T13:38:15

25/06/2019 13h38

Contratação muito badalada, o lateral direito Rafinha, de 33 anos, foi apresentado oficialmente pelo Flamengo na tarde de hoje (25), no centro de treinamento Ninho do Urubu. Motivado, o jogador revelou que fez a escolha pelo Rubro-Negro mesmo com outras propostas para continuar no futebol europeu.

"Eu escolhi o Flamengo. Graças a Deus cheguei a esse momento da carreira em que pude escolher onde jogar. Meus companheiros de Bayern sabiam desse meu desejo e conheciam a grandeza do Flamengo", declarou em suas primeiras palavras.

Sob olhares de seus irmãos e de todo o staff que acompanhava a entrevista coletiva, Rafinha fez questão de agradecer ao vice-presidente de futebol do Flamengo, Marcos Braz, e de seu empresário, o ex-meia Lincoln, por toda a paciência que se fez necessária diante da complexa negociação.

"Já faz quase dois anos que o Lincoln está me enchendo o saco para voltar ao Brasil. E no Ano Novo esse rapaz aqui [Marcos Braz, que estava ao seu lado] abriu mão dos familiares, marcou uma reunião em São Paulo e ele acabou tendo um papel fundamental na minha vinda ao Flamengo, porque para mim era uma coisa difícil naquele momento."

"O Bayern tinha acabado de dar um período até 15 de janeiro para renovar por mais dois anos, e eu disse ao Braz que queria jogar no Flamengo, mas ele teria que ter paciência. É uma mudança muito grande na minha vida pessoal e profissional. Até eu estava ficando nervoso, mas também queria sair do Bayern pela porta da frente para não ficar com minha imagem arranhada. Então quero agradecer muito ao Marcos Braz, porque esse cara teve muita paciência comigo", completou.

Confira outros trechos da coletiva

Inverno carioca

"Quando falaram que era o inverno carioca, não precisei perguntar como era o verão (risos). Vou ter que me adaptar, mas o clima não vai ser problema. Eu sou brasileiro. Londrina (PR), minha cidade natal, também é bem quente".

Calendário brasileiro

"Aqui é totalmente diferente. Se você chegar até a final da Champions, vai ter disputado 52 partidas. Mas é claro, vou me preparar para fazer a maior quantidade de jogos possíveis".

Camisa 13

"A respeito da camisa 13 que estava com o Trauco, eu liguei para ele e pedi. Perguntei se tinha problema de trocarmos de número, porque 13 me dá muita sorte. O deixei à vontade para ele falar, e ele falou que não tinha problema algum. Queria agradecer, pois ele já está há um tempo no clube".

Costuma tatuar os títulos

"Graças a Deus minha carreira sempre foi de títulos. Gosto de eternizar essas conquistas então, com certeza, vim aqui para isso. Esse clube precisa de títulos grandes".