Topo

Esporte


Colorados de Chile e Peru não temem vaias e pressão na Arena do Grêmio

Charles Aranguiz, do Chile, durante disputa de pênalti contra a Colômbia, na Copa América  - REUTERS/Ueslei Marcelino
Charles Aranguiz, do Chile, durante disputa de pênalti contra a Colômbia, na Copa América Imagem: REUTERS/Ueslei Marcelino

Diego Salgado, José Edgar de Matos, José Eduardo Martins e Marinho Saldanha

Do UOL, em São Paulo e Porto Alegre

02/07/2019 04h00

Durante as quartas de final da Copa América, na partida entre Colômbia e Chile, na Arena Corinthians, chamaram a atenção as vaias dos torcedores para Mina. O zagueiro colombiano não tinha a simpatia da torcida por ter defendido o Palmeiras. Agora, na semifinal do torneio, amanhã (3), na Arena do Grêmio, dois jogadores poderão ter tal recepção. O chileno Charles Aránguiz vestiu a camisa do arquirrival Internacional entre 2014 e 2015, enquanto o peruano Paolo Guerrero é jogador do Colorado.

A dupla, segundo apurou o UOL Esporte, não está tão preocupada com a pressão do público. Experientes, os dois jogadores estão concentrados no que acontece dentro de campo.

"Não acho que vá ser vaiado como foi o Mina. Não penso nisso. Acho que os chilenos vão para o estádio, como fizeram em todas as partidas e estaremos concentrados no jogo", disse Aránguiz.

Na abertura da competição, o Peru chegou a jogar na Arena do Grêmio. Na ocasião, empate por 0 a 0 com a Venezuela, Guerrero não chegou a ser vaiado pelos torcedores. A maior parte do público era de peruanos, e o atacante recebeu até apoio. No jogo do Brasil no local, o goleiro Allison, que também defendeu o Internacional, teve o nome gritado pelos presentes, principalmente na disputa de pênaltis.

"Espero que tenham muitos torcedores chilenos. Para mim, em especial, é muito lindo voltar para Porto Alegre. Tenho boas recordações e amigos na cidade que vão torcer para o Chile", disse Aránguiz.

A principal preocupação dos jogadores com a Arena do Grêmio é o gramado. Todas as equipes que por lá passaram reclamaram das condições do campo. Tal situação serviu até mesmo para que os colorados provocassem o rival. "Espero que melhore o gramado da Arena do Grêmio, que as pessoas responsáveis pelo estádio tenham trabalhado para que tudo esteja adequado para que seja disputada uma partida. Preferia que fosse no Beira-Rio, porque o estádio é mais lindo e o gramado também [é melhor]", brincou o chileno.

Inter sonha com retorno

O Internacional sonha com o retorno de Charles Aránguiz, mas reconhece que é difícil. Segundo o vice de futebol Roberto Melo, o clube até buscou informações e tentou abrir conversas com o Bayer Leverkusen, da Alemanha, mas a necessidade de investimento alto afastou esta possibilidade. Nos bastidores do clube, Aránguiz é tratado como "sonho distante" e a possibilidade de qualquer negócio ser concretizado é remota.

Mais Esporte