Topo

Copa do Mundo Feminina - 2019


Jogadoras cobram visibilidade e investimento na base durante final na Globo

Monica, Erika e Tamires participaram de transmissão da TV Globo - Reprodução
Monica, Erika e Tamires participaram de transmissão da TV Globo Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

07/07/2019 13h33

Durante o intervalo da partida entre Estados Unidos e Holanda, pela final da Copa do Mundo Feminina, Cleber Machado, na TV Globo, entrevistou Monica, Érika e Tamires, jogadoras da seleção brasileira e do Corinthians.

O narrador reforçou os números de audiência alcançados no Brasil durante a Copa e perguntou o que as jogadoras gostariam de ver ao fim do ano, na época de natal, no futebol feminino.

"Que continue a visibilidade, que continue crescendo cada vez mais, a atmosfera boa, que o Campeonato Brasileiro seja valorizado na maneira que merece", afirmou a lateral Tamires, recém contratada pelo Corinthians. Além da visibilidade, Érika e Monica reforçaram também a necessidade de maior investimento nas categorias de base.

"Planejamento e trabalho de base. juntando essa ideia de continuar. Que a gente olhe para o Brasileiro da mesma forma que olhamos para a Copa do Mundo". afirmou.

A atacante Cristiane, que joga pelo São Paulo e comentou a partida na Globo, também frisou a necessidade de trabalho com a base: "tem que olhar para a categoria de base. Você precisa trabalhar isso, são as meninas que vão nos substituir. Próxima geração está aí".

O Brasil foi eliminado nas oitavas da final da Copa do Mundo pela França. Após a derrota, a atacante Marta deu uma entrevista emocionada sobre o futuro da seleção: "Não vai ter uma Marta para sempre, não vai ter uma Formiga para sempre, não vai ter uma Cristiane para sempre. O futebol feminino depende de vocês! Valorizem mais! A gente tem de chorar no começo para sorrir no fim", desabafou.

Sobre o desabafo de Marta, Cristiane comentou que o recado foi não somente para as jogadoras, mas também para toda a comissão técnica: "nós tivemos essa conversa no vestiário. Foi cobrança para quem assumir a seleção, comissão. Não adianta jogar o peso só nas atletas. Tem que ser muito bem distribuído, atletas e comissão técnica", disse.

Mais Copa do Mundo Feminina - 2019