Topo

Protesto contra atraso esfria busca do Botafogo por novo camisa 10

Botafogo chegou a sondar Marlone, mas negociação não foi levada para frente  - CARLOS COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Botafogo chegou a sondar Marlone, mas negociação não foi levada para frente Imagem: CARLOS COSTA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

08/07/2019 04h00

A diretoria do Botafogo buscava a chegada de um camisa 10 para a sequência da temporada. Porém, o fato de estar com dois meses de salários atrasados e com jogadores bastante insatisfeitos fez os dirigentes esfriarem a busca por um jogador.

Segundo apuração do UOL Esporte, não ocorreu nenhum tipo de exigência do elenco nesse sentido. A diretoria, no entanto, entendeu que a chegada de mais um jogador, ainda mais com salário alto, poderia gerar um clima ruim no grupo.

E isso é determinante para os dirigentes que veem um clima bom no elenco apesar dos salários atrasados. A insatisfação existe com a diretoria, mas não entre os atletas. Essa é a prioridade da diretoria. E, claro, colocar os salários em dia, o que não parece algo fácil.

É que o Botafogo realizou muitos adiantamentos com a Globo e ficou com pouco a receber da empresa, sua principal fonte de renda. Nem mesmo o direito de transmissão que passará a ser pago a partir de julho será suficiente para quitar a dívida.

A longo prazo, o Botafogo ainda conta com R$ 35 milhões em vendas de atleta no mercado da bola. O mais valorizado é Gatito Fernández, que brilhou intensamente na última Copa América. O Porto realizou sondagens e iniciou conversas com o goleiro, mas ainda não apresentou propostas.

Além do paraguaio, quem também está valorizado é Ezequiel, emprestado ao Sport. Existe a possibilidade real dele ser negociado nesta janela de transferências e sequer voltar a vestir a camisa do Botafogo.