Topo

Advogado cita "caso obscuro" na Fifa e diz que Cruzeiro não perderá pontos

Advogado do Cruzeiro reforçou que recurso pedido pelo clube não foi feito para adiar a dívida - Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Advogado do Cruzeiro reforçou que recurso pedido pelo clube não foi feito para adiar a dívida Imagem: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

10/07/2019 20h15

Advogado que cuida da esfera jurídica internacional do Cruzeiro, Breno Tanuri comentou sobre a situação do clube na Fifa. O clube foi notificado que poderá perder seis pontos no Brasileirão por causa de uma dívida de 1,5 milhão de euros (R$6,3 milhões) referente à compra do atacante Willian, hoje no Palmeiras, mas recorreu da determinação do órgão e aguarda novo julgamento. O advogado explicou os motivos do pedido de recurso, citou algumas peculiaridades no caso e assegurou que o Cruzeiro não perderá pontos.

"É um caso um pouco obscuro até para nós. Nós tínhamos um contrato de empréstimo. No final dele, tínhamos uma opção que poderia ser exercida. O Cruzeiro avisou que tinha vontade de exercer a opção, mas recebemos a informação que o Willian não pertencia mais ao Metalist, mas ao FC Zorya. Se o clube quisesse comprar, teria que ser com o FC Zorya", iniciou, em entrevista ao canal ESPN Brasil.

De fato, Willian chegou ao Cruzeiro na temporada de 2013 vindo do Metalist. Na época, o presidente do clube ucraniano deixou seu país devido à crise política na região. Na mesma época, o Metalist transferiu sua sede para a cidade de Luhansk, onde fica o Zorya Luhansk, autor da ação contra o Cruzeiro.

Em junho de 2017, o Zorya entrou com a ação na Fifa exigindo o pagamento do Cruzeiro, e recebeu o parecer favorável da entidade em primeira instância. Então, o Cruzeiro entrou com um recurso e teve uma liminar aceita pelo CAS, a Corte Arbitral do Esporte. Agora, um novo julgamento será marcado dentro de aproximadamente 10 meses. Se sofrer novas derrotas nas instâncias superiores, a diretoria da Raposa terá um prazo de 90 dias para pagar. Somente se isso não for feito é que o clube será punido com a perda de pontos.

Segundo Tanuri, o pedido de recurso do Cruzeiro não foi feito para simplesmente adiar o pagamento. O advogado citou que foi notificado pelo Metalist que o Willian deixou o clube violando os regulamentos da Ucrânia, e que precisa averiguar essa questão na Fifa.

"O Cruzeiro não está protelando um eventual pagamento. O processo é específico, difícil, o ex-time do Willian passa por um processo de falência. Nós fomos notificados pelo clube", acrescentou. "É um processo complicado, que merece uma análise um pouco mais profunda. E não pode ser tratado da maneira como foi tratado".

"O Cruzeiro passa por um problema financeiro, isso é fato. Mas a estratégia depende muito de caso a caso. Nesse caso, especificamente, acredito que tenha que ser assim. Existem pontos que precisam ser discutidos. Temos ações semelhantes como essa que a gente precisa recorrer. Às vezes você recorre por causa de juros cobrados de maneira errada, ou de uma multa muito desproporcional", encerrou.