Topo

Sport

Surpreso com ação, Sport diz que planejava 'futuro longínquo' a Magrão

Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Imagem: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

Do UOL, em Santos (SP)

2019-07-12T13:18:43

12/07/2019 13h18

O Sport divulgou no início da tarde de hoje uma nota na qual se diz surpreso e espantado com a ação de Magrão na Justiça do Trabalho. De acordo com a nota, o clube planejava um 'futuro longínquo' do jogador, 'em qualquer função que ele almejasse'.

O Sport ainda rebate as declarações dadas por Magrão em uma entrevista concedida ao Globo Esporte de Pernambucano, na qual ele alega que o presidente Milton Bivar disse que facilitaria a sua saída do clube, ainda no ano passado.

"Ele começou a falar a situação, que tinha pego o clube numa situação complicada, que estava realmente devendo a mim, e ali o presidente fez uma proposta para mim que me deixou bastante decepcionado. Ele tinha perguntado se havia clube interessado em mim porque ele facilitaria a minha saída. Então naquele momento ali eu vi que estava fora dos planos", disse Magrão.

Em nota, o Sport nega a afirmação do goleiro: "A Presidência não só quis que Magrão permanecesse no Clube como que o vínculo dele se estendesse além do contrato profissional, que encerrava no final de 2020 - e o aditivo iria até 2022".

O Sport ainda publicou em seu site oficial o contrato aditivo firmado entre Magrão e Sport, em fevereiro desse ano, em que é acordo entre as partes a repactuação das dívidas adquiridas pelo jogador na gestão de 2018.

No início dessa semana, Sport e Magrão entraram em acordo na Justiça: ficou definido que o goleiro receberá R$ 1.875.000, a ser pago em 44 parcelas pelo clube rubro-negro. A rescisão de contrato, solicitada pelo jogador, também foi atendida.

Leia a nota completa:

Com intuito de esclarecer o nosso sócio e torcedor, a Presidência do Sport Club do Recife publica o contrato aditivo firmado entre o atleta Magrão e o Clube, no dia 06 de fevereiro de 2019, em que é acordado entre as partes a repactuação das dívidas adquiridas pelo atleta na gestão 2018, na sua aba de Transparência do Site, clicando aqui.

A Presidência não só quis que Magrão permanecesse no Clube como que o vínculo dele se estendesse além do contrato profissional, que encerrava no final de 2020 - e o aditivo iria até 2022.

A notícia da interpelação judicial por parte do jogador e quebra unilateral do acordo firmado no início de fevereiro nos causou surpresa e espanto, pois planejávamos um futuro longínquo de Magrão no Clube, em qualquer função que ele almejasse.

O Clube respeita a vontade do atleta e firmou acordo na justiça para pagar a remuneração que lhe é devida. E deseja muita sorte ao sempre ídolo Magrão.

O Sport dá por encerrado este assunto.