Topo

Futebol


Superação dos reservas e Adilson dão gás para Atlético-MG antes do clássico

Do UOL, em Belo Horizonte

15/07/2019 04h00

O Atlético-MG ganhou uma injeção de ânimo para jogar suas últimas fichas na Copa do Brasil e tentar a classificação contra o rival Cruzeiro na próxima quarta-feira. Na noite de ontem, os reservas de Rodrigo Santana foram à Arena Condá e voltaram com uma vitória de virada por 2 a 1, com direito a pênalti perdido, gol no fim e muito drama. Arrancado na superação, o triunfo dá um gás extra para os jogadores que ficaram em Belo Horizonte e se preparam para o clássico.

"Que essa vitória sirva de motivação para quarta-feira, para nossa torcida não desistir. A gente sabe que o 'Eu Acredito' é muito forte. Que a gente possa fazer um grande jogo. Mostramos que o espírito do Atlético é nunca desistir, é de acreditar até o fim. É com esse espírito que vamos, se Deus quiser, conseguir a classificação", comentou o meia Vinícius, autor do gol da virada alvinegra em Chapecó. Vinícius também comentou sobre a aposentadoria de Adilson, que também servirá de motivação para a equipe. Na véspera do primeiro clássico, o elenco recebeu a notícia de que o volante não poderia mais jogar futebol. Clube e jogador oficializaram a situação no dia seguinte à derrota por 3 a 0.

"A gente sabe também da situação do Adilson. Que isso também sirva de motivação ainda mais para a gente. É um cara guerreiro, que fez a carreira dele. E a gente vai estar junto até o final", acrescentou Vinícius.

Para avançar na Copa do Brasil, o Atlético precisará vencer o rival por pelo menos três gols no tempo normal, levando a disputa para os pênaltis. Dentro dos 90 minutos, somente um triunfo por pelo menos quatro gols de diferença. Para se ter uma ideia do tamanho do desafio, uma vitória atleticana com essa margem não acontece desde a temporada de 2007. A favor do Galo, estará o caldeirão do Horto, que já tem todos os seus bilhetes esgotados para a torcida alvinegra.

"O apoio da torcida será muito importante, em nenhum momento eles deixaram de cantar na quinta-feira (partida da ida). Precisamos fazer a nossa parte dentro de campo, a decisão ainda está em aberto. Vamos procurar fazer nossa parte até o final para tentar a classificação", falou o técnico Rodrigo Santana.

Mais Futebol