Topo

Polícia não define prazo, mas põe equipe inteira para investigar o Cruzeiro

Presidente Wagner Pires de Sá, do Cruzeiro, é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais - Bruno Haddad/Cruzeiro
Presidente Wagner Pires de Sá, do Cruzeiro, é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

17/07/2019 04h00

A Polícia Civil de Minas Gerais está desde a última terça-feira (9) com os documentos apreendidos durante a operação "Primeiro Tempo", que apura possíveis irregularidades e crimes nas contas de Cruzeiro, seus dirigentes e empresários ligados ao clube. Há uma equipe inteira da Polícia destinada apenas a apurar as inconstâncias fiscais apresentadas nos materiais apreendidos. Não há, no entanto, prazo para conclusão da análise.

Para ler esta notícia na íntegra, além de outras novidades dos bastidores da bola, acesse a coluna De Primeira.