Topo

Futebol


Escolas são protagonistas no aumento de 30% de garotas em campeonato amador

Número de garotas em um dos maiores campeonatos amadores do Brasil cresce 30% - Divulgação
Número de garotas em um dos maiores campeonatos amadores do Brasil cresce 30% Imagem: Divulgação

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

21/07/2019 04h00

Um dos maiores campeonatos amadores de futebol do Brasil, o Play FC é realizado em São Paulo e registrou 720 garotas com idade entre 7 e 17 anos inscritas na edição deste ano - aumento de 30% em relação a anterior. Nada a ver com a Copa do Mundo afirma Rafael Barajas, idealizador da competição. Ele explica que o principal motivo é as escolas atenderem a vontade das garotas em praticar o esporte.

"O que a gente percebe é que ano a ano existe uma sucessão de esforços e as escolas estão dando mais atenção. Cada vez mais professores estão investindo tempo no futebol feminino porque existe o interesse das alunas. Culturalmente no Brasil as aulas [de Educação Física] são dividas em quatro bimestres com cada um dedicado a um esporte: voleibol, basquete, handebol e atletismo. Agora um dos bimestres é dedicado ao futebol", avalia Rafael Barajas.

O idealizado do Play FC conta que a mudança na atuação das escolas acompanha uma mudança na mentalidade das famílias. Ele declarou que há 10 anos os pais não recebiam bem quando uma filha resolvia jogar bola. Agora, a visão a respeito do futebol mudou. Ainda assim, há resquícios deste pensamento.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Rafael vê prevalecer o conceito de que meninas são princesinhas para pais, comportamento que atrapalha a iniciação no futebol. A mentalidade explica não haver atletas suficientes para categoria sub-8 feminina. Quando as garotas atingem uma idade em que podem manifestar sua vontade, avisam que querem jogar futebol. Atualmente, a opção é aceita pela família e atendida pelas escolas.

"O papel das escolas é fundamental. O número de escolas no Brasil é enorme e elas conseguem atender a vontade de jogar e capacitar as meninas para o futebol".

Rafael Barajas cita a disposição de local, material de jogo e o acompanhamento de um professor. Ele ressalta que há diferença entre meninos e meninos porque os garotos são incentivados desde a primeira infância a brincar com bola.

Por este motivo, o idealizador do campeonato fala que é preciso outra abordagem no ensino. Mas o crescimento do interesse das garotas e o aumento nas inscrições no Play FC tem melhorado a qualidade dos jogos. Rafael conta que os jogos estão melhores ano a ano.

O Play FC é disputado em São Paulo e contou com 4 mil inscritos. A competição começa em agosto e vai até novembro com jogos semanais. Os participantes têm entre 7 e 17 anos.

Mais Futebol