Topo

Palmeiras repete erros, mostra nervosismo e "mata" Gustavo Scarpa

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

21/07/2019 04h00

Além da invencibilidade de 33 jogos de Campeonato Brasileiro, o Palmeiras perdeu a cabeça ontem no Castelão. O nervosismo do time deixou até o técnico Luiz Felipe Scolari incomodado e foi preponderante para a derrota por 2 a 0 diante do Ceará. Só que, como o próprio treinador avisou, o time tem apenas dois dias para acalmar os ânimos e evitar que a pressão fique ainda maior.

O Verdão saiu de Fortaleza ontem após a partida e já embarcou para uma longa viagem até Mendoza, na fronteira da Argentina com o Chile. Lá, enfrenta o Godoy Cruz na terça-feira, na abertura das oitavas de final da Copa Libertadores da América. A tendência é encontrar casa cheia e um ambiente tenso provocado pela torcida rival.

Isso preocupa Felipão, justamente porque o Palmeiras fraquejou em cenários parecidos nos últimos dias. O nervosismo tomou conta dos alviverdes na queda para o Internacional nas quartas de final da Copa do Brasil, deu as caras novamente no Castelão e pode custar mais uma eliminação na temporada se não for contido a tempo.

Que eu me lembre, não tínhamos tido duas derrotas seguidas. Vamos precisar analisar muita coisa. Alguns detalhes saíram do que imaginávamos. Estamos nervosos no momento de fazer o gol, proporcionamos contra-ataques que não são normais. Vamos tentar corrigir tudo para o jogo na Argentina
Luiz Felipe Scolari

Por que o Palmeiras caiu de rendimento após a Copa América?

Resultado parcial

Total de 9713 votos
46,90%
13,65%
2,62%
29,38%
7,45%
Total de 9713 votos

Felipão errou ao escalar o time titular em Fortaleza?

O Palmeiras jogou um clássico na capital paulista, contra o São Paulo, com um time misto no fim de semana passado. A ideia era usar os titulares contra o Inter na Copa do Brasil e contra o Godoy Cruz, na terça. Assim, os reservas entrariam de novo contra o Ceará. Mas Felipão, preocupado com o impacto da queda em Porto Alegre e com o aval da preparação física, entendeu que seria melhor usar força máxima em Fortaleza, mesmo com o peso de viagens longas e próximas.

Felipão sempre deixa claro que todos precisam estar 100% preparados em todo jogo. Não foi diferente desta vez. Todos vieram preparados, mas infelizmente não conseguimos o resultado. É uma turbulência, um momento ruim, mas que só nos podemos sair. Temos que ver o que fizemos de errado, encarar essa viagem longa e o grande jogo de terça.
Bruno Henrique, ao Esporte Interativo

Deyverson passa em branco de novo e erra até em simulação

Felipão também aproveitou a entrevista coletiva no Castelão para mostrar que não está nada satisfeito com o ataque do Palmeiras. O técnico, que depois foi endossado por Bruno Henrique, falou que a bola tem passado muitas vezes em frente ao gol adversário sem que ninguém tenha calma para definir as jogadas. Isso passa por Deyverson, um dos exemplos de nervos aflorados no time.

O centroavante mais uma vez passou muito tempo entrando em conflito com os zagueiros rivais - e a dupla do Ceará, formada por Valdo e Luiz Otávio, fez uma excelente partida. Em uma dessas disputas, Deyverson se jogou na beira do gramado pedindo falta e até Felipão fez sinal negativo para o comportamento do jogador.

Mais uma vez tivemos quatro, cinco bolas passando em frente ao gol sem conseguirmos fazer. Antes da parada a gente estava fazendo. É uma série de coisas que temos que olhar e ver se fazemos mudanças, o que está acontecendo com A, B ou C e tentar colocar o time nos trilhos.
Felipão

Mais um dia de VAR em destaque

Na mesma semana, o Palmeiras esteve envolvido em dois jogos com atuação intensa do VAR. Na queda para o Inter na Copa do Brasil, questionou-se muito o gol anulado de Cuesta nos acréscimos e um pênalti para o time paulista. Ontem, o Palmeiras reclamou de falta em Deyverson na origem do primeiro gol do Ceará e depois um pênalti foi anulado no segundo tempo.

O árbitro tinha considerado o lance de Deyverson normal e até se irritou com a insistência da equipe de vídeo por uma checagem no monitor. Depois, marcou o pênalti para o Palmeiras e recorreu ao VAR para entender se Luiz Otávio estava com a mão no chão no momento do toque. Seguindo a nova recomendação da Fifa, Rodrigo D'Alonso Ferreira cancelou a penalidade corretamente.

Se o VAR anula é porque viram e entenderam que era para anular. Não discuto,. É uma situação nova no futebol brasileiro e temos que nos adaptar. Temos que esperar que se confirme. E às vezes a confirmação não é o que tu pensa, mas é o que eles viram. Não tenho nada a contestar.
Felipão

O que acontece com Gustavo Scarpa?

Gustavo Scarpa foi substituído no clássico contra o São Paulo, não foi utilizado contra o Inter e ontem, ainda no intervalo, foi a primeira troca de Felipão. O meia não está rendendo o que se espera, é verdade. Mas a culpa é realmente dele? O Palmeiras tem mostrado nos últimos tempos que nenhum jogador escalado na armação consegue prosperar, resultado do estilo de uma equipe que investe mais em passes longos e tem pouca paciência para criar.

Ramires tem estreia frustrada por derrota

O Palmeiras buscou Ramires para o segundo semestre com grandes expectativas. E ontem o meio-campista ficou à disposição de Luiz Felipe Scolari pela primeira vez. O técnico resolveu lançá-lo no segundo tempo, na vaga de Dudu, para ser o armador do time, mas a desorganização do time não permitiu que o reforço se destacasse na estreia. Foram duas tentativas frustradas de chutes de longe e nada mais.