Topo

Santos domina estatísticas do Brasileirão para encostar no líder Palmeiras

Marinho comemora gol marcado para o Santos contra o Botafogo - Thiago Ribeiro/AGIF
Marinho comemora gol marcado para o Santos contra o Botafogo Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, em São Paulo

22/07/2019 04h00

O Santos chegou. Depois de o Palmeiras sofrer, no sábado, sua primeira derrota pelo Brasileirão 2019, o time de Jorge Sampaoli conseguiu contra o Botafogo sua quinta vitória consecutiva. Os rivais paulistas agora somam os mesmos 26 pontos, mas a liderança ainda é alviverde, graças ao saldo de gols (14 a 7).

Não é segredo que o orçamento do líder seja consideravelmente maior que o do vice. Ainda assim, após 11 rodadas, os dois vão competindo praticamente de igual para igual. Além da sequência positiva de resultados, uma consulta a diversas estatísticas do campeonato, via Footstats, também deve dar confiança à equipe.

Para começar, o Santos é o líder de posse de bola da competição, com 58% na média. Seria uma marca relevante em qualquer contexto, mas que ganha ainda mais expressão quando comparada ao que faz o Palmeiras, com 48% (apenas a 12ª melhor marca).

Uma curiosidade, porém: mesmo que seja a que mais retém a bola, a equipe da Baixada Santista é apenas a sétima em passes certos, com 399,6 em média por jogo. Está atrás de Fluminense, Botafogo, Internacional, Cruzeiro e Flamengo. O Palmeiras, porém, aparece na antepenúltima posição nesse quesito, com apenas 215,5.

Uma estatística coincidente é a de lançamentos. Ambos tentaram precisamente 315 cada até aqui, com 13,2% de acerto para os palmeirenses (segunda melhor marca) contra 11,8% dos santistas. Em termos de cruzamentos, o Santos tenta 22,9 por jogo (em sexto), enquanto o Palmeiras, 18,0 (em 16º). Cai a tese de que uma equipe dirigida por Felipão vá investir, sempre, no chuveirinho para vencer.

Seguindo em uma perspectiva ofensiva, o time de Sampaoli também é o que mais busca o gol, se assim pudermos tratar aquele que tem mais finalizações, com 167 no total, cinco a mais que o Flamengo. Já o Palmeiras aparece em sexto no ranking, com 143. Em termos de acerto ao alvo, o Santos segue à frente (44,3% x 40,6%).

De qualquer forma, aqui é bom fazer a ressalva: a despeito desses números, o Palmeiras ainda anotou mais gols que o rival (19 x 14). Foram mais eficientes, então, quando precisaram.

Na hora de se defender, o Santos é o segundo time que mais completa desarmes, com 194 no total (17,6 por rodada). O Palmeiras é o nono, respectivamente com 162 e 14,7. Também tem mais interceptações (40, liderando o ranking, contra 20, antepenúltimo). Ainda assim, a história se repete: os atuais campeões também levaram menos gols (5 x 7).

O que faz a diferença para o Palmeiras é basicamente a vitória no confronto direto, em 18 de maio, por 4 a 0. Um empate naquela ocasião teria deixado os santistas hoje na liderança.

Mas não adianta lamentar o ocorrido. E o Santos definitivamente não faz isso. Está invicto desde então e conquistou 16 de 18 pontos possíveis. Uma curiosidade é a repetição do placar favorável de 1 a 0 nessa sequência, por quatro vezes, tal como no triunfo sobre o Botafogo.

Ainda não é o suficiente para Sampaoli celebrar, porém. "Foi um jogo difícil em um campo complexo. O elenco encontrou autoconfiança para propor jogo em qualquer lugar. Mas temos que ficar atentos no que está por vir, porque vai ser ainda mais difícil. Temos que saber que nossa realidade será marcada em novembro", afirmou. "Nós temos que pensar em chegar bem nas últimas rodadas."

O desafio santista será, com seu elenco mais enxuto, manter esse rendimento nas estatísticas listadas acima.