Topo

Futebol


Fernando Diniz diz preferir Neymar a Messi e CR7: "Pelo desafio"

Técnico Fernando Diniz tem sofrido questionamentos após oito jogos sem vitória do Fluminense - LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.
Técnico Fernando Diniz tem sofrido questionamentos após oito jogos sem vitória do Fluminense Imagem: LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.

Do UOL, em São Paulo

23/07/2019 14h34

O técnico Fernando Diniz, que atualmente comanda o Fluminense, precisou indicar quem ele gostaria de treinar entre Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo. E ele não ficou em cima do muro.

"Pelo desafio, eu iria escolher o Neymar", explicou o técnico, em entrevista concedida à "DAZN".

O treinador ainda mostrou certo incômodo ao analisar o rótulo de "moderno" que muitos insistem em colocar sobre ele por conta do estilo que tenta implementar em suas equipes.

"Esse enquadramento que as pessoas tentam fazer comigo eu discordo frontalmente. Não acredito que eu sou um cara que traz modernidade, da nova geração. Os conceitos principais daquilo que tento fazer no futebol são bem antigos. Acredito muito na força das relações humanas, de como a gente consegue construir o grupo, e implementar coisas como solidariedade, coragem para jogar futebol, o divertimento, o prazer, essas coisas tão no pilar central do meu trabalho", destacou Diniz, antes de acrescentar.

"Quanto à metodologia de treino, ter posse de bola ou não, recuperar a bola em uma região mais alta do campo, isso é questão de gosto. Não acho que isso especificamente tenha a ver com modernidade. Vejo futebol como uma extensão dos meus conceitos de vida. Nesse sentido, não acho que eu me enquadro como um treinador que está trazendo grandes novidades."

Ainda analisando sua carreira, o técnico fez questão de ressaltar que não tem planos para assumir o comando da seleção brasileira. Em sua visão, um possível convite para o cargo tem que surgir como algo natural.

"(Treinar a seleção é um objetivo?) Um objetivo claro, não, é uma coisa que pode até acontecer, como para qualquer outro cara, mas não tenho esse negócio do objetivo. Se tiver no meu caminho, vai acontecer, mas não é uma coisa que coloquei no meu caminho, vai ter que acontecer de maneira natural", finalizou o técnico.

Mais Futebol