Topo

Futebol


Carrasco do Fla, Gilberto é rubro-negro e sonha jogar no clube

Do UOL, no Rio de Janeiro

05/08/2019 15h44

Três gols e uma vitória acachapante sobre o Flamengo. Gilberto, do Bahia, foi o nome da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. O que alguns não sabem é que o carrasco rubro-negro era torcedor do clube na infância e alimenta o desejo de um dia defender as cores da equipe da Gávea.

A revelação foi feita ao canal "Pilhado", do Youtube, em janeiro deste ano:

"Só tem um lugarzinho aí, que eu falei, que poderia balançar, porque é algo do coração que ainda não realizei. Tenho uma coisa do coração, que é jogar no meu time de infância. O time que meu pai me ensinou desde cedo a torcer. Sou flamenguista. Meu pai então?".

Gilberto comemora diante de goleiro Diego Alves após marcar pelo Bahia sobre o Flamengo - Felipe Oliveira / EC Bahia
Gilberto comemora diante de goleiro Diego Alves após marcar pelo Bahia sobre o Flamengo
Imagem: Felipe Oliveira / EC Bahia

Por ironia do destino, o histórico de carrasco do Flamengo de Gilberto não se iniciou ontem. O jogador já marcou outros três gols sobre o Rubro-negro, sendo um, inclusive, em fase eliminatória.

O primeiro foi quando ainda defendia o Internacional, em 2012. Os outros dois foram atuando pelo Vasco, grande rival do Flamengo.

Em 2015, por exemplo, seu gol sobre o Rubro-negro deu a classificação ao Cruz-maltino para a decisão do Campeonato Carioca, onde se sagraria campeão posteriormente com dois gols nas finais diante do Botafogo.

"Os caras (do Vasco) falavam: vamos ganhar deles, mas a gente sabe que você é torcedor de lá. Eu respondia que podiam ficar tranquilos, que dentro de campo era profissionalismo total", disse ao Pilhado na ocasião.

Na tarde de hoje (5), Gilberto voltou a falar sobre a identificação com o Flamengo em entrevista ao canal Fox Sports. "Eu gosto muito do estilo do Flamengo. Já gostava com o Abel [Braga], pela maneira com que ele trabalha os centroavantes, acho que ele facilita a nossa vida. E o jogo com o Jesus também é muito pensando no ataque. E é sempre bom ver meu time do coração ganhar, mas não quando eu estiver jogando contra. Aí, eu sou profissional", brincou.

Mais Futebol