Topo

Futebol


Gil parabeniza Michael pessoalmente, e Carlos Augusto desabafa: "chatinho"

Gil e Michael participaram juntos de entrevista na zona mista após o jogo em Itaquera - Samir Carvalho/UOL
Gil e Michael participaram juntos de entrevista na zona mista após o jogo em Itaquera Imagem: Samir Carvalho/UOL

Flavio Latif e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/08/2019 22h57

Após a vitória do Corinthians contra o Goiás por 2 a 0, hoje, em Itaquera, em jogo adiado da sétima rodada do Campeonato Brasileiro, o atacante Michael foi assunto entre os defensores do Timão. O zagueiro Gil, ao lado do filho, fez questão de parabenizar o atacante rival pessoalmente na zona mista. Os dois, inclusive, até concederam entrevistas juntos.

"Sabíamos da qualidade da equipe do Goiás, principalmente com o Michael. A gente está acostumado (em enfrentar jogador habilidoso). A alegria e ousadia desses jogadores que partem para cima do adversário, sempre com respeito, é importante para o futebol brasileiro. Temos grandes jogadores que fazem assim, Ronaldinho Gaúcho, Neymar, todo mundo. Agora surgiu ele (Michael), que todo mundo está elogiando. Que continue no caminho dele, com a humildade que ele tem, porque vai longe", afirmou Gil.

Carlos Augusto, por sua vez, não estava tão animado com o atacante do Goiás. O lateral-esquerdo, responsável por marcar o rival, disse que ficou devendo na partida e admitiu que Michael é o jogador mais "chato" que ele enfrentou desde que subiu ao profissional.

"Ele (Michael) é um bom jogador. Acho que na minha partida eu fiquei devendo. Fiquei devendo nesse jogo, mas é trabalhar para melhorar sempre. (Participação ofensiva) Um pouco, mas eu pretendo sempre chegar mais, ajudar a equipe com mais cruzamentos e mais passes. Ele (Michael) voltava bastante para marcar e era chato nos contra-ataques, então tinha que ficar atento às vezes para não subir tanto e marcar ele. Acho que sim, pode ser que sim (o jogador mais chato que já enfrentou), chatinho", disse Carlos.

"Ele jogou o jogo todo do meu lado. Nos 15 minutos iniciais eu consegui trabalhar mais a bola, mas depois tive dificuldade, tanto que ele voltou bastante para ajudar o lateral deles e eu não consegui fazer a parte ofensiva. Mas a gente tem muito a crescer melhorar, é focar nos próximos jogos para tentar a liderança", completou.

Michael, aliás, marcou um golaço ao driblar diversos defensores do Corinthians, mas o gol foi anulado pela arbitragem após análise do VAR. O gol ocorreu no primeiro tempo e seria o de empate da equipe esmeraldina.

Mais Futebol