Topo

Como Dani Alves e Juanfran mudam mentalidade no vestiário do São Paulo

Dupla deve acelerar ambientação nesta semana para poder estrear contra o Ceará, no domingo (18) - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Dupla deve acelerar ambientação nesta semana para poder estrear contra o Ceará, no domingo (18) Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

12/08/2019 04h00

As contratações de Daniel Alves e Juanfran vão além da qualidade técnica no São Paulo. A intenção é que a mentalidade vencedora da dupla se espalhe pelo elenco e contagie principalmente os mais jovens, como Diego Lugano deixou claro durante a apresentação oficial do lateral espanhol na última sexta-feira (9).

"Sabemos que nosso clube e nosso vestiário precisam globalizar mais um pouquinho, com filosofias diferentes, como ele [Juanfran] vai trazer", disse o superintendente de relações institucionais do São Paulo na ocasião. "É uma filosofia de profissionalismo, novas táticas, ideias... Temos que ter a humildade de aprender, ouvir, e nada melhor do que um jogador com este perfil, que se enquadra nos valores históricos do São Paulo", completou Lugano.

A declaração foi direcionada a Juanfran, mas pode ser estendida a Daniel Alves. Dias antes, na apresentação deste no Morumbi, tanto o presidente Leco quanto o executivo de futebol Raí elogiaram o capitão da seleção brasileira não só como jogador, mas também como um dos líderes inevitáveis do elenco. Lugano concorda.

"Não há nada mais democrático e sem bandeiras do que um vestiário de futebol. Está faltando um pouquinho mais [de ainda mais ideias]. O São Paulo e o Brasil têm potencial enorme para trazer jogadores de nível europeu, potencializar a filosofia tática, técnica e a reação às adversidades", opina o ídolo tricolor, que saiu do Uruguai para fazer carreira em times de outros sete países.

Os próprios reforços têm consciência desta tarefa. "Tenho um espírito vencedor. Com tudo o que vivi até hoje, é muito interessante encontrar um grupo jovem, porque eles dão energia nessa mescla [de gerações]", disse Daniel Alves em sua primeira coletiva, ao que Juanfran sem querer complementou três dias depois.

"Minha filosofia de vida é cuidar da minha família, que agora é o São Paulo", disse o espanhol. "Depois é trabalhar, trabalhar e trabalhar para ganhar. Sempre. O mais importante é ganhar. Jogando melhor ou pior, dá na mesma, no final o que a torcida quer é ganhar", apontou.

Vivendo jejum de títulos desde 2012, o São Paulo tenta implantar desde Cotia um costume de conquistar troféus: foram pelo menos dez títulos das categorias de base em cada uma das três últimas temporadas, além da Copa São Paulo de Juniores deste ano. As chegadas de Dani Alves e Juanfran servem também para um avanço em direção ao espírito vencedor.