Topo

Futebol


Jogador da base do America é morto durante operação policial no Rio

Dyogo Coutinho ia para um treino do América antes de ser baleado e morto no Rio de Janeiro - Reprodução/Globo
Dyogo Coutinho ia para um treino do América antes de ser baleado e morto no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Globo

Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

12/08/2019 21h36Atualizada em 13/08/2019 11h49

Um adolescente que atuava pelo America morreu hoje (12), na comunidade da Grota do Surucucu, em Niterói, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, durante uma operação do do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq). Dyogo Coutinho, de 16 anos, foi baleado na porta de casa, quando se encaminhava para um treino.

O jovem foi socorrido pelo avô, motorista de ônibus que passou pelo local e viu o corpo do neto.

"Passei na hora no ônibus. Passei e vi um corpo no chão, mas não identifiquei que era meu neto. Quando cheguei uns 50 metros à frente, que me deu um toque na cabeça que meu neto tinha descido para ir treinar. Parei o ônibus, coloquei no freio de mão, fui lá ver e era meu neto. Agora, imagina uma situação dessa. E os PM's lá. E ainda disseram que meu neto era traficante", disse, em entrevista à TV Globo, Cristovão Brito, que completou:

Reprodução TV Globo
Imagem: Reprodução TV Globo

"Era só chamar ele, mandava encostar, verificava a bolsa, que ia ver que ele ia treinar, e liberava. Não atirar. O tiro pegou nas costas e saiu aqui do lado [aponta para a região da costela]. Ainda falaram para mim que meu neto era traficante. Brincadeira".

O jovem era jogador não federado do America e atuava em uma competição municipal em Duque de Caxias, na categoria sub-17. Supervisores do clube e o treinador do treinador dele estiveram no local depois do ocorrido e também acompanharam o caso na Policlínica Regional do Largo da Batalha.

"Pessoal do America aqui, treinador do America aqui... Eu que socorri. Peguei no hospital quando ele nasceu e peguei no colo quando morreu. Agora, acho que as autoridades têm de olhar um pouco melhor para essas comunidades. É uma vergonha!"

Reprodução TV Globo
Imagem: Reprodução TV Globo

Após a morte, moradores fizeram um protesto e queimaram um ônibus na Av. Presidente Roosevelt, no bairro São Francisco, e um outro adolescente ficou ferido. À TV Globo, parentes disseram que o jovem foi baleado enquanto acontecia a manifestação e foi levado ao Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói, tendo recebido alta no início da noite.

Pela manhã, agentes do BPChq estiveram nas comunidades do Grota, Igrejinha e Viradouro, todas em Niterói em ação de combate ao tráfico de drogas.

O America, através do site oficial, emitiu uma oficial lamentando a morte de Dyogo Coutinho e prestando condolências aos familiares e amigos do jovem.

Nota oficial sobre o falecimento do atleta Dyogo Xavier Coutinho, 16

"O America Football Club recebeu no fim da tarde desta segunda-feira (12), com imensa tristeza e perplexidade, a notícia da morte de Dyogo Xavier Coutinho, de 16 anos, que treinava no plantel de atletas da categoria sub-17 de nosso clube. Dyogo ainda não era atleta federado, pois não estava inscrito em competições oficiais da FERJ (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro), mas integrava um grupo específico de atletas mais jovens da referida categoria que disputava torneios não oficiais, como aqueles realizados pela Liga Municipal de Duque de Caxias.

As informações divulgadas pelos mais diversos meios de comunicação dão conta que Dyogo teria sido vítima de um projétil de origem desconhecida na Comunidade da Grota, que passava naquela manhã por uma operação em que a polícia confrontava traficantes locais. Acidentalmente alvejado, ele teria sido reconhecido pelo avô, motorista de ônibus, que começava a sua jornada de trabalho. Ele ainda foi removido para a Policlínica do Largo da Batalha, mas não resistiu ao ferimento sofrido.

Assim que o ocorrido chegou ao conhecimento da comissão técnica da categoria, que treina na Vila Olímpica de Caxias, o supervisor da equipe sub-17, Antônio Carlos Villa Flor Brito, deixou o treino e partiu para a o hospital junto de alguns dos companheiros de equipe do atleta. Lá, prestou todo o suporte possível aos familiares em meio ao momento de dor indescritível.

Absolutamente entristecido, o America presta suas mais sinceras condolências aos familiares e amigos de Dyogo, mais uma vítima inocente de uma sociedade tão saturada de violência e agressividade.

- Departamento de Comunicação - AFC"

Mais Futebol