Ferj libera apenas duas datas para dupla Fla-Flu na Primeira Liga

Antes irredutível, a Ferj concordou apenas em liberar duas datas para Flamengo e Fluminense participarem da Primeira Liga. Tal decisão ocorreu durante reunião realizada nesta quinta-feira entre Rubens Lopes, presidente da entidade, e Gilvan Tavares, mandatário da Primeira Liga e do Cruzeiro, na sede da CBF. Walter Feldman, secretário-geral da CBF e presente no encontro, acredita que as partes poderão avançar por "um acordo que reduza ou extingua o conflito que até agora existiu".

A posição da Ferj faz com que Flamengo e Fluminense não possam completar a fase de grupos da Primeira Liga, contra Figueirense e Criciúma nos dias 9 e 10 de março, respectivamente. Automaticamente, a dupla não poderia disputar a semifinal e, como consequência, a decisão do torneio, prevista para o dia 31 de março. A tabela da competição precisaria ser repensada, caso tal cenário não seja modificado e os clubes sigam no torneio, cujo início está previsto para a próxima quarta.

O encontro com Rubens Lopes pode não ter garantido a dupla Fla-Flu na Primeira Liga, mas Gilvan acredita que ambos participarão da competição sem a limitação de datas.

- Estamos caminhando bem. Acredito que vamos chegar a um acordo em relação a isso. Falta tão pouco para isso. Faltou mais diálogo com a Ferj nessa primeira fase. Agora está tendo e vai evoluir para que ocorra tudo bem - destacou o presidente da Liga, à ESPN.

Walter Feldman, em pronunciamento após a reunião entre Gilvan e Rubens Lopes, destacou o papel da CBF no caso em um primeiro momento.

- Nós queremos o embate no campo. É bom lembrar que a função da CBF é contribuir na organização do futebol brasileiro. Sabemos que o conflito, que é inerente ao futebol, não pode descambar para a organização do futebol, pois aí não temos uma disciplina, um ordenamento jurídico e constitucional. Essa tem sido a função e tarefa da CBF até agora - disse o secretário-geral, antes de citar que a competição é interessante sob o ponto de vista da entidade:

- Não há contradição, nós queremos (a Primeira Liga). Mas como não foi incluído no calendário nacional (de 2016) e existem problemas de conflitos em relação ao Estatuto (do Torcedor) e ao Regulamento Geral das competições, nós estamos, desde o início, exercendo a nossa tarefa diplomática, de juntar as partes para que elas cheguem à um acordo, como foi revelado aqui.

Por fim, Feldman também mostrou confiança por uma avanço nas conversas entre a Primeira Liga e a Ferj:

- Talvez não tenhamos decidido a finalização do processo, mas está muito claro que Gilvan e o Rubens Lopes, presidente da Federação carioca, poderão avançar por um acordo que reduza ou extingua o conflito que até agora existiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos