Macri pede punição exemplar a jogadores do Boca após confusão

O atacante Dani Osvaldo acabou de retornar ao Boca Juniors, e já voltou a se meter em confusão. E agora tem até o presidente Mauricio Macri no meio. O político, que já exerceu esta função no clube, pediu à Associação de Futebol da Argentina (AFA) que dê uma punição ao atacante e a Cata Díaz por causa da confusão no amistoso contra o River Plate, que aliás, enfrentam-se de novo neste sábado em Mendoza, sem ambos os jogadores em campo.

O ministério da Segurança do país considera que Osvaldo e Díaz provocaram a torcida rival no jogo que teve cinco jogadores expulsos na semana passada, em Mar del Plata. Por isso, Macri pediu uma punição que sirva de exemplo para o futuro.

- Independentemente das várias faltas graves cometidas durante o jogo, que foram oportunamente sancionadas pelo árbitro, preocupam o ministério o tratamento dado pela maioria dos jogadores ao árbitro e particularmente as atitudes dos jogadores Daniel Osvaldo e Daniel Alberto Díaz. Estes últimos são vistos fazendo gestos provocativos na direção dos torcedores adversários, um ato que constitui uma evidente e manifesta incitação à violência, imprópria de um jogador da Primeira Divisão - diz o comunicado emitido pelo governo.

Na Argentina há uma forte campanha para que o amistoso deste sábado tenha outro clima, mais pacífico. De qualquer forma, os dois jogadores citados por Macri não entrarão em campo. Díaz está suspenso, enquanto Dani Osvaldo tem uma sobrecarga muscular e está fora.

Os dois clubes foram recebidos por muita gente em Mendoza, e os ingressos para a partida deste sábado já estão esgotadas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos