Após ver carreira ameaçada, Giovanni celebra recomeço no Flu

 

Em dezembro de 2014, a dois dias do Natal, Giovanni foi anunciado no Fluminense. Era o sexto reforço da equipe para a temporada seguinte, o segundo na posição. Com apenas um ano de contrato, não conseguiu aproveitar o período integralmente. No dia 19 de julho, em clássico com o Vasco, válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Tricolor foi derrotado pelo rival por 2 a 1, perdeu a chance de ser líder da competição e o lateral viu a grande oportunidade da carreira ser ameaçada.

 

Uma ruptura no ligamento cruzado do joelho direito tirou o jogador dos gramados, obrigando-o a passar por duas cirurgias. Antes mesmo do procedimento, um alívio: o atleta teve encaminhada a renovação de seu contrato até 2018.

 

No início de janeiro, ele voltou a treinar com os companheiros. Mas foi na véspera do jogo contra o Bonsucesso, pela segunda rodada do Campeonato Carioca, que veio a notícia que poderia recolocá-lo nos trilhos. O técnico Eduardo Baptista surpreendeu e confirmou a escalação do lateral de 26 anos no time titular.

 

O Tricolor não havia vencido em 2016, acumulando três derrotas e um empate entre Florida Cup, Primeira Liga e Estadual. Só que, quando a bola rolou, Giovanni e o Fluminense começaram a mudar seus destinos. O time goleou por 4 a 0, e o jogador chorou. Com o placar ainda registrando 1 a 0, ele deixou Gustavo Scarpa na boa para anotar o segundo dos comandados de Baptista.

 

- Muito bom. Só quem estava perto viu o que eu passei. Chegaram momentos em que duvidamos se poderia voltar em alto nível. Isso mostra a capacidade do pessoal do clube, fisioterapia, doutor Douglas Santos... Mesmo com os problemas que tive, voltei no prazo, até antes do prazo. Consegui voltar bem, dei assistência. Até comentei antes do jogo que, se desse assistência, não sabia o que faria, e consegui - comentou o atleta.

 

Alegria fora de campo

Enquanto ficou longe dos campos, o dono da camisa 6 teve um grande acontecimento para celebrar: o nascimento de sua filha Luiza. Segundo o próprio pai coruja, trata-se de uma das responsáveis pela sua volta por cima.

 

- É uma motivação ainda maior para eu voltar bem - frisou.

 

Após o primeiro passo para o sucesso na atual temporada, Giovanni e o Tricolor esperam emendar uma boa sequência e, quem sabe, levantar taças em 2016.

 

- Ficar de fora é ruim. Então, sofremos junto. Estávamos brigando por até Libertadores, e cair do jeito que caiu... Começa a dar mais valor, só de poder fazer academia eu ficava feliz. Mas ajudar dentro de campo é diferente. Poder voltar a atuar, dar carrinho, pra mim já tava valendo. E poder dar assistência então, é muito bom - celebrou.

 

Possivelmente com Giovanni entre os titulares, o Fluminense enfrenta o Madureira no dia 11 de fevereiro, em seu terceiro compromisso no Estadual. A partida acontecerá no Moacyrzão, em Macaé. O Tricolor das Laranjeiras é o quarto colocado do Grupo A, com três pontos, mesmo posicionamento e pontuação do Suburbano no B. 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos