Huracán se classifica à fase de grupos da Libertadores nos acréscimos

Um gol nos acréscimos do atacante reserva Mendoza classificou na madrugada desta quarta-feira o Huracán - com um jogador a menos - para a fase de grupos da Libertadores. O time argentino perdeu o jogo para o Caracas  por 2 a 1, mas como havia vencido a ida  em Buenos Aires por 1 a 0, conseguiu avançar.

Após arrancar a vaga de forma tão dramática, o Huracán vai para o Grupo 4, o mesmo de Peñarol, Atlético Nacional e Sporting Cristal.

O primeiro tempo foi muito movimentado, pois ambos os times buscaram o gol. Com a volta do atacante Ábila - que teve a punição de três jogos reduzida para um pela Conmebol e retornou ao time - os argentinos começaram muito bem. Antes dos 10 min, Ábila e Montenegro levaram muito perigo ao goleiro Fariñez, garoto de 17 anos.

O Caracas só conseguiu oferecer perigo a partir do momento que seus jogadores se tranquilizaram em campo (começaram reclamando demais da arbitragem e errando passes) e passaram a buscar lances pelos flancos e em bolas paradas. Aos 18 min, quase saiu na frente: Sánchez cobriu falta para a área e a bola desviou antes de entrar. Numa marcação polêmica, o juiz anulou o gol marcando impedimento.

O jogo ficou bem corrido, com o Caracas um pouco mais perigoso. E aos 46 min, o time da casa chegou ao gol. Um cruzamento pela esquerda achou o zagueiro Quijada bem colocado pela direita. Ele cabeceou e marcou colocando o jogo em aberto, já que na ida o Huracán vencera por 1 a 0.

Após o intervalo, o Caracas passou a jogar através de lançamentos e teve tudo para ampliar aos 10 min, quando García recebeu desmarcado pela direita e avançou na cara do goleiro Díaz. Só que ele se enrolou todo e acabou sendo bloqueado pelo arqueiro. Perdeu uma chance incrível.

Mais tarde, aos 23 min, Hernández, o mais arisco jogador em campo, fez ótima jogada pela esquerda e tocou para Arango. O atacante do Caracas deu um toquinho e a bola passou raspando o gol de Díaz. 

Com a expulsão de Mariano González, o Huracán se fechou tentando buscar a classificação nos pênaltis; só que aos 37 min, o atacante Arango recebeu pela esquerda, não ajeitou bem, mas Hernandez fez a correção e devolveu a bola para Arango, que cortou para o meio e mandou uma bomba, fazendo 2 a 0 para o Caracas.

Tudo parecia perdido para o Huracán. Mas o técnico Eduardo Domínguez tinha cartas na manga. Aos 39 min, colocou Mendoza em campo. Aos 43 min, o lateral Miralles. E os dois jogadores deram a classificação ao time aos 47 min, quando Miralles fez a tabela com Toranzo, cruzou na cabeça de Mendoza, que até então, mal tocara na bola.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos