Nuzman tem segurança pessoal bancada pela Rio 2016, diz blog

 Carlos Arthur Nuzman, Presidente do Comitê Rio 2016, e sua família, têm a seu dispor alguns seguranças particulares pagos com verba do Comitê Olímpico. Em alguns documentos obtidos pelo Blog de Gabriela Moreira, da ESPN, mostram que só em 2015 a empresa SL Quatro Segurança e Vigilância foi contratada por pelo menos R$ 492.480 mil. Além desse contrato, foram fechados mais quatro entre os anos de 2011 e 2014. O Comitê não quer falar sobre esses contratos, nem sobre os serviços prestados pela empresa de segurança.

 No mês de dezembro de 2011, o Rio 2016 registrou um recibo contra a empresa de segurança no valor de R$ 72.260,80. No contrato, os serviços foram definidos como "segurança pessoal e privada do presidente da Rio 2016", cargo ocupado por Carlos Arthur Nuzman.

 Além da SL Quatro Segurança e Vigilância, mais duas empresas de segurança prestam serviços ao Comitê Olímico, mas não fazendo a segurança pessoal do Presidente, essas cuidam de assuntos relacionados somente à entidade. A Gocil Serviços de Vigilância e Segurança recebe R$ 3,6 milhões por ano. O compromisso dessa empresa é de cuidar da segurança "ordinária patrimonial" do Comitê. Além de ter este contrato fixo, a empresa trabalha em locais externos, firmando contratos para detarminados eventos realizados para a Rio 2016. Por exemplo, o evento teste de Vela, custou R$ 83 mil.

 A última empresa que fornece serviços de segurança para o Comitê Olímpico, é a VMI Sistemas de Segurança. Ela é responsável pelos equipamentos como scanner e raio X do prédio do Comitê, que fica localizado no Centro do Rio de Janeiro, recebendo por ano R$ 315.700,95.

 O Comitê Olímpico preferiu não se pronunciar a respeito do fato

 Segundo o blog, a assessoria de imprensa do Comitê Organizador, se negou a falar sobre qualquer tipo de informção sobre esse assunto. Uma das perguntas realizadas para a entidade foi se os custos da segurança privada também caíram após o corte de gastos feito pela Organização por conta da crise financeira no país.

 A pergunta não teve resposta, mesmo a reportagem sem querer saber detalhes técnicos da segurança.

- Não temos a obrigação de prestar contas públicas, apenas aos nossos patrocinadores. - responderam ao Blog

 O Comitê Organizador da Rio 2016 negou qualquer tipo de ligação com a empresa SL Quatro Segurança e Vigilância. A informação veio da chefia da seguraça do Comitê, segundo informações. Após a reportagem dizer que tinha detalhes do contrato, um novo contrato foi feito, só que agora sem negar a contratação da empresa.

 - Quem cuida dos assuntos do presidente é outra pessoa, não a mesma que consultamos inicialmente

Nota da Rio 2016

- Por razões óbvias, todos os gastos ligados à segurança são mantidos em sigilo, por objetivo de manter a integridade do evento. Os jogos são organizados com recursos privados. As informações prestadas ao Tribunal de Contas da União são protegidas por sigilo legal e regimental

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos