Calados, jogadores do São Paulo sentem ira da torcida após vexame

A maioria dos jogadores do São Paulo não quiseram falar com os jornalistas nem no intervalo nem depois da derrota para o The Strongest (BOL), nesta quarta-feira, na abertura da fase de grupos da Libertadores. No entanto, o silêncio não impediu que os comandados de Edgardo Bauza recebessem a fúria dos torcedores, inconformados com o vexame. Logo após o gol dos visitantes, boa parte da torcida começou a proferir xingamentos, principalmente ao capitão Michel Bastos. Pedidos de raça e respeito com a camisa tricolor também foram ouvidos.

A perseguição seguiu no vestiário do Pacaembu. Na saída do ônibus, um pequeno grupo de torcedores se aproximou e cobrou novamente os atletas. Batendo no veículo, direcionavam palavrões principalmente a Michel Bastos e Ganso. Enquanto isso, Diego Lugano, que nem sequer estava relacionado para a partida, dava entrevistas na zona mista do estádio. O uruguaio disse que a derrota complica muito a situação do São Paulo no grupo 1 da Libertadores.

Já o técnico Edgardo Bauza tentou explicar o tropeço e não soube responder porque os jogadores preferiram não se pronunciar sobre a derrota em casa.

- Não sei, tem que perguntar para eles (jogadores). Eu não tenho problema em falar, mas a mim não falaram nada - disse o Patón.

O São Paulo se reapresenta nesta quinta-feira, às 16h, no CT da Barra Funda. O próximo jogo é no domingo, contra o Rio Claro, pelo Campeonato Paulista, também no Pacaembu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos