'Descoberto' por Galvão e pupilo de Renato Gaúcho, volante ex-Grêmio inicia nova fase na carreira em Goiás

Após sete anos, o volante Mateus Magro, de 25 anos, teve seu contrato com o Grêmio encerrado no fim do ano passado. Em uma nova etapa da carreira, nesta quarta-feira, o meio-campista reestreou pela Aparecidense - onde havia jogado no ano passado -, emprestado pelo Tricolor Gaúcho, na derrota para o Goiás, por 2 a 0, pela sétima rodada do Campeonato Goiano.

Depois de disputar o Estadual de Goiás no ano passado, Mateus retornou ao Grêmio, mas não teve chances na equipe comandada pelo técnico Roger Machado. Em janeiro, retornou para Goiás com o objetivo de levar o time a disputar a fase final do campeonato, feito conseguido na temporada passada, quando a equipe de Aparecida de Goiânia foi vice-campeã. Mesmo com a derrota, o meio-campista se disse satisfeito pelo desempenho inpidual, principalmente porque vinha de um período de inatividade.

- Eu reestreei pela Aparecidense, após cinco meses sem jogar. Infelizmente perdemos, mas ao meu ver fizemos um bom jogo. Não concretizamos as chances de gols que criamos. O Goiás foi mais eficiente. Em minha opinião, foi um bom retorno. Me senti bem durante os 90 minutos, Consegui marcar bem e ainda sair bem para o jogo. Agora meu pensamento está voltado para a sequência da competição e em buscar uma sequência de jogos, o que é muito importante - disse Mateus.

A Aparecidense ocupa a terceira colocação na tabela de classificação do Grupo B do Campeonato Goiano, com sete pontos. Mesmo em situação difícil para alcançar as primeiras colocação, Matheus se disse confiante em buscar a classificação à fase final do torneio.

- O campeonato está muito equilibrado. Apenas o Atlético-GO, o Goiás e o Vila Nova estão mais folgados na tabela. O restante dos clubes estão brigando tanto contra o rebaixamento quanto pela classificação ao G4. Creio que podemos reagir, a equipe está se encontrando, prova disso foi o desempenho contra o Goiás. Vamos nos preparar bem para enfrentar o Trindade, no domingo, e iniciar essa arrancada para nos aproximarmos da nossa meta - disse o volante, projetando o duelo de domingo, às 16h, fora de casa.

CHANCE DE MAURO GALVÃO

Natural de Novo Hamburgo, no interior do Rio Grande do Sul, Mateus começou a carreira no Novo Hamburgo, clube da cidade e que disputa a primeira pisão do Campeonato Gaúcho. Em 2009, com 18 anos, estreou na equipe profissional em uma derrota por 5 a 1 para o Grêmio. Mesmo com a goleada, o volante conseguiu se destacar, chamando a atenção de Mauro Galvão, que acabou contratando Mateus para a equipe de juniores. Mesmo sem contato atualmente, Magro destaca a importância de Galvão para

- Ele (Mauro Galvão) me perguntou se eu gostaria de me transferir para o Grêmio. Claro, respondi que sim. Então me contratou. Depois que ele saiu do Grêmio, não tivemos mais contato. Mas eu tenho um carinho e admiração imensa por ele. Foi ele quem me tirou do futebol do interior e me deu a chance de ir para o Grêmio, de jogar pelo mundo inteiro e de defender as cores de um grande clube. Então, sou e serei sempre muito grato ao Mauro por tudo - afirmou Mateus.

GRATIDÃO AO ÍDOLO RENATO GAÚCHO

Apesar de ter sido contratado para os juniores, em 2009 mesmo Mateus estreou pelos profissionais do Grêmio. Mas foi em 2011 que o volante viveu sua melhor fase no Olímpico, quando o time foi treinado por Renato Gaúcho, maior ídolo da história tricolor.

- O Renato é outra pessoa por quem tenho enorme admiração e gratidão. Na época em que trabalhamos juntos, ele me ajudou muito. O meu futebol evoluiu muito naquele período tanto técnica quanto taticamente. Além disso, nos dava muita confiança e tranquilidade para desempenharmos o nosso melhor futebol. É um grande treinador, um ídolo e uma pessoa excelente que tive o prazer de conhecer e trabalhar - disse o meio-campista.

Nos últimos anos, Mateus jogou por clubes como Caxias, de Caxias do Sul, Ypiranga, de Erechim, Vila Nova, de Goiás, e Red Bull Brasil, sempre emprestado pelo Grêmio. Agora, na Aparecidense, o jogador espera fazer um grande campeonato e buscar um contrato mais longo e uma estabilidade na carreira.

- Meu pensamento agora está voltado para fazer o melhor trabalho possível pela Aparecidense. O período no Grêmio foi de grande aprendizado e muito importante. Mas agora é um recomeço. Tenho contrato até o fim do estadual, mas quero buscar um vínculo mais longo e ter uma tranquilidade maior. Sonho voltar a jogar por um clube grande, conseguir jogar no exterior quem sabe e dar uma condição boa para minha família, algo que penso sempre - afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos