Santos 'dorme', é derrotado pelo Red Bull e perde invencibilidade

Nada de tapete vermelho. No centésimo jogo de Ricardo Oliveira pelo Santos, o primeiro após quase ter ido para a China, o camisa 9 não teve atuação de gala. Esteve mais para coadjuvante e ainda saiu no intervalo de jogo com dores no joelho. Falando em coadjuvante, o Red Bull foi merecedor de prêmio na noite de ontem, ao vencer o Santos por 2 a 0 em São José dos Campos, pelo Paulistão. Veja como foi o jogo lance a lance.

Ao invés de uma grande atuação do time mais conhecido, Thiago Galhardo, o 10 do Touro, foi quem abriu o placar para o time de Campinas e garantiu a vitória, que marcou a quebra da invencibilidade do Peixe na temporada.

O comandante do elenco santista, que sonha com uma estatueta no comando do Alvinegro, mudou seus personagens principais ao fim dos 45 minutos iniciais.

Depois de levar um gol em uma saída errada de Serginho, o Santos voltou para a segunda etapa sem Oliveira e sem o meia autor do erro, e com Patito e Joel, o dublê do camisa 9 no atual momento.

Ao invés de uma grande atuação do time mais conhecido, Thiago Galhardo, o 10 do Touro, foi quem abriu o placar para o time de Campinas e garantiu a vitória, que marcou a quebra da invencibilidade do Peixe na temporada.

O comandante do elenco santista, que sonha com uma estatueta no comando do Alvinegro, mudou seus personagens principais ao fim dos 45 minutos iniciais.

Depois de levar um gol em uma saída errada de Serginho, o Santos voltou para a segunda etapa sem Oliveira e sem o meia autor do erro, e com Patito e Joel, o dublê do camisa 9 no atual momento.

O camaronês, que veio de dois gols na vitória sobre o Mogi Mirim, entrou como o papel de Franco Atirador e foi quem mais finalizou para o Alvinegro, mas parou nas mãos de Saulo, goleiro que defendeu a equipe da equipe da Vila Belmiro no terror do 7 a 1 de 2005.

Embora tenha feito o gol ainda no primeiro tempo e teve outro anulado, com Anderson, impedido, o Red Bull não dominou a partida e cedeu a pressão do Santos em todo o segundo tempo.

Depois de "dormir" nos 45 minutos iniciais, o Peixe decidiu acordar para ver o final, mas não achou um final feliz em São José dos Campos.

A estratégia santista se resumiu a um contra-ataque pelos lados do campo, com Patito e Gabigol. O camisa 10 até acertou a trave, mas parou ali.

No fim, nenhum dos comandantes conseguiram manter a disciplina tática, mas o Touro de Campinas conseguiu segurar o resultado.

Ao Santos, resta se redimir diante do Corinthians, no próximo domingo, na Vila Belmiro.Sem encantar, o time procura sua melhor atuação.

A primeira derrota no ano deixa o Santos com 12 pontos, líder do grupo A. Com a vitória, o Red Bull vai a 10 pontos no grupo D.

FICHATÉCNICA

RED BULL BRASIL 2 X 0 SANTOS

Local: Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos (SP)

Data-Hora: 28/2/2016 - 19h30 (horário de Brasília)

Árbitro: Vinícius Golçalves Dias Araújo

Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Fábio Rogério Baesteiro

Público-Renda: 6.191 pagantes / R$ R$ 293.970,00

Cartões amarelos: Luan, Dráusio e Breno Lopes (RBB)

Gols: Thiago Galhardo Bastos 37' 1ºT (1-0), Roger 42' 2ºT (2-0)

RED BULL BRASIL: Saulo, Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e

Willian Rocha (Misael 14' 2ºT); Luan, Maylson e Thiago Galhardo

(Arthur Caculé 25' 2ºT); Bruno Lopes, Edmílson (Dráusio 17' 2ºT)

e Roger. Técnico: Maurício Barbieri

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca;

Renato, Thiago Maia (Vitor Bueno 16' 2ºT) e Serginho (Pato Rodríguez

- intervalo); Lucas Lima, Gabriel e Ricardo Oliveira (Joel -

intervalo). Técnico: Dorival Júnior

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos