Libertadores: Huracán surpreende e derrota o Peñarol em Montevidéu

No Estádio Centenário, em Montevidéu, nesta terça-feira, Peñarol e Huracán fizeram um jogo excelente no primeiro tempo e muito tenso e truncado na etapa final. No fim, uma surpresa. Contando com as excelentes defesas do goleiro Diaz e a inspiração do garoto Gamarra, que marcou um golaço e quase fez outro que seria pintura ( bateu no travessão), o Huracán venceu por 1 a 0. O resultado levou o time argentino aos três pontos, na vice-liderança do Grupo 4 da Copa Libertadores , que é liderado pelo Atlético Nacional de Medelín, com  seis. Peñarol e Sporting Cristal pidem a lanterna, com um ponto.

O Huracán entrou em campo sem seus dois astros, o meia Montenegro e o atacante Abila, que ficaram no banco. Além disso, Mancinelli estava suspenso e os três jogadores gravemente machucados no acidente que o ônibus que levava a delegação para o aeroporto de Caracas (após a classificação do time para a fase de grupos da Libertadores) Toranzo, Nervo e Mendoza, seguiram de fora.

Apesar dos desfalques, o Huracán saiu na frente num belo gol aos seis minutos e de um dos reservas. O volante do Peñarol Tomás Costa tentou dar um passe atravessando a bola do meio para a lateral direita, porém Gamarra roubou a bola para o time argentino, ajeitou e mandou de longe uma bomba sem chance para o goleiro Guruceaga.

Apoiado pela torcida que compareceu em bom número no Estádio Centenário, o Penãrol sufocou o Huracán. Forlán cobrou falta que bateu na rede pelo lado de fora que fez muita gente acreditar que fosse gol. Em seguida, Nandez obrigou o goleiro Diaz a fazer difícil defesa. Mais tarde, Maxi Rodríguez chutou uma bomba de fora da área que passou raspando a trave direita dos argentinos; Além disso, Murillo fez um gol bem anulado.

Só que o Huracán estava muito bem nos contra-ataques, sempre assustando. E um lance curioso ocorreu aos 41 minutos. Ao ver o adversário Miralles machucado e sentindo (ou simulando) dores perto da sua área, o goleiro do Peñarol Guruciaga foi prestar ajuda. Na mesma hora o time argentino roubou a bola na sua área de defesa, ligou o ataque e Bogado, ao ver o arco sem o goleiro, chutou e marcou. O juiz anulou. Pouco depois, aos 45, Gamarra arriscou um chute de fora da área que bateu no travessão. E ainda teve tempo de Miralles perder o que seria o segundo gol do Huracán.

No segundo tempo, aos cinco minutos,  o Peñarol teve tudo para empatar numa cabeçada de Murillo quase na pequena área, que obrigou o goleiro Diaz a fazer a melhor defesa da noite. 

Depois disso o jogo passou a ficar truncado, com muitas faltas, empurrões, catimba. Ainda assim os times buscaram o gol. Forlán obrigou o goleiro Diaz a fazer grande defesa num chute de fora e o Huracán, já com Ábila em campo, assustou duas vezes, uma com Gamarra, grande defesa de Guruciaga, e outra com Ábila, acertando a trave uruguaia,

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos