NFL: Um mês após conquistar o Super Bowl, Peyton Manning irá anunciar aposentadoria

Para os fãs de futebol americano ao redor do mundo, o ano de 2016 ficará marcado na história: será o ano do adeus a uma lenda. Aos 39 anos, o quarterback Peyton Manning anunciará nesta segunda-feira sua aposentadoria do esporte, exatamente um mês depois de conquistar o segundo Super Bowl de sua carreira.

Tido por muitos como o maior jogador da história do futebol americano, o número 18, que atuou por apenas duas equipes em seus 18 anos de NFL, o Indianapolis Colts (1998-2011) e o Denver Broncos (2012-2016), sofreu em sua última temporada como profissional.

Com persas lesões durante o ano, Manning jogou apenas dez jogos dos 16 que compõem a temporada regular pelo Broncos, mas retornou para a disputa dos playoffs, ajudando o time a passar por Pittsburgh Steelers, New England Patriots e, no Super Bowl, pelo até então favorito Carolina Panthers.

Por conta das persas dificuldades que o jogador sofreu em seus últimos duelos pela liga, sua aposentadoria já era ventilada antes mesmo da disputa da decisão do campeonato.

Peyton, que completará 40 anos no próximo dia 24, deixa a NFL com persos recordes em mãos. Atualmente, ele lidera em número de vitórias (200), jardas de passe (79.279), passes para touchdowns (579), conquistas de MVPs (cinco) e convocações para o Pro Bowl (14).

- Quando você vê tudo que Peyton conquistou como jogador e pessoa, é fácil perceber o quanto sortudo nós fomos por tê-lo em nosso time. Ele foi tudo que pensamos que ele era e até mais, não apenas para a equipe, mas para a comunidade. Estou muito feliz por Peyton ter escolhido jogar pelo Denver Broncos e eu o parabenizo por sua carreira que o levará ao Hall da Fama - disse o vice-presidente do Broncos, John Elway.

Mesmo sem jogar o melhor que poderia em sua última temporada, Manning deixa a NFL no auge, com sua segunda conquista de Super Bowl - a primeira aconteceu com o Indianapolis Colts, em 2006/2007.

Esse seu primeiro título, inclusive, aconteceu com o time que escolheu Peyton como número 1 no draft de 1998. O jogador, aos 21 anos, havia quebrado dezenas de recordes na Universidade do Tennessee e, pela franquia de Indiana, conquistou 150 de suas 200 vitórias na liga.

Após atuar por 13 anos na cidade, Manning mudou a mentalidade da comunidade que, até então, era conhecida por sua excelência no basquete. Mas, em 2011, após ficar um ano sem jogar por conta de uma lesão no pescoço, foi cortado pelo time, que não poderia arcar com o bônus contratual devido ao jogador caso ele seguisse na equipe.

A decisão do atleta, então, foi transferir-se para o Denver Broncos, onde, em quatro anos, alcançou dois Super Bowl e quebrou os derradeiros recordes de sua carreira (vitórias, passes para TD's, jardas de passe e MVP's).

A discussão sobre quem é o maior jogador da história do futebol americano fica em segundo plano no momento. Agora, a frase mais ouvida por atletas, dirigentes, treinadores e as pessoas envolvidas no esporte é uma só: nunca mais haverá alguém como Peyton Manning.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos