Andrés diz que pedirá explicações à PM por ação na Arena Corinthians

A confusão generalizada ocorrida entre policiais militares e torcedores do Corinthians na saída da Arena após o jogo contra o Linense, neste sábado, foi tema de uma manifestação do deputado federal Andrés Sanchez (PT-SP), que prometeu cobrar explicações do comando da Polícia Militar a respeito da ação ocorrida no estádio do bairro de Itaquera. Ex-presidente e ex-superintendente de futebol do Timão, o parlamentar postou um comunicado em suas redes sociais assegurando que o assunto será investigado e levado adiante.

"A todas as pessoas que fizeram chegar seu protesto pela inaceitável atuação da PM ontem (sábado) na Arena, faço saber que concordo com as denúncias e manifestarei meu protesto ante o comando da PM exigindo esclarecimentos e responsabilidades pelo sucedido contra membros da Fiel Torcida", escreveu Andrés Sanchez em comunicado pulgado em seu perfil oficial no Facebook.

Logo após o jogo deste sábado, torcedores e policiais entraram em confronto na saída do setor Leste do estádio em Itaquera. Não houve nenhum detido ou registro de feridos, mas as duas partes anunciaram versões diferentes sobre o ocorrido. 

Segundo o comando da Polícia Militar responsável pelo efetivo da Arena Corinthians, foram os torcedores que iniciaram o confronto. Na saída do estádio, os policiais dizem ter sido pegos de surpresa com a violência da torcida, que atirou objetos e grades pisórias da Arena em direção ao corpo policial, que reagiu com bombas de efeito moral. A versão de torcedores é diferente. De acordo com pessoas presentes no estádio, houve uma emboscada feita pelos policiais para realizar ação truculenta contra os torcedores. Alguns, inclusive, disseram ter visto policiais posicionados nos banheiros do Setor Norte, apenas aguardando a saída dos torcedores para o combate.

Dado o confronto, houve muita confusão na saída da Arena Corinthians, com o bloqueio da saída para a estação de metrô, o que deixou muita gente sem saber o que fazer, já que o retorno ao estádio também era proibido. Não foi a primeira vez em que os corintianos entraram em confronto com a Polícia, já que um processo semelhante ocorreu na saída da partida contra o Cerro Porteño (PAR), pela Libertadores. Anteriormente, os torcedores já tiveram faixas de protesto tomadas pelos policiais, antes da Federação Paulista de Futebol se posicionar contrariamente à censura aos protestos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos