Lava Jato: obra da Arena Corinthians teve pagamento de propina

A 26ª fase da Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira, respingou na Arena Corinthians. Segundo informações do jornal "Folha de S.Paulo", o estádio foi viabilizado com o pagamento de propina pela Odebrecht. Quem pulgou a informação foi um dos coordenadores da força-tarefa da operação, o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima.

Segundo o procurador, a ilegalidade apareceu em planilhas apreendidas, que mostram repasses ilegais envolvendo a diretoria da construtora, que é responsável pela gestão do contrato com a Arena Corinthians. A lista dos destinatários dos pagamentos ainda está em fase de análise inicial.

Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou que só o estádio do Timão apareceu nesta fase das investigações. No entanto, ele contou que há indícios de pagamentos de propinas em outros estádios que foram palco da Copa do Mundo de 2014.

Esta fase da Lava Jato tem como foco executivos da Odebrecht e doleiros. Ela investiga uma suposta estrutura interna na empreiteira para pagamentos de propinas persas esperas, como algumas obras federais e até relacionadas à Petrobras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos