Com índice olímpico, brasileira da maratona é suspensa após flagra em doping

Uma das principais competidoras do atletismo brasileiro está fora da Olimpíada do Rio de Janeiro, em agosto. A maratonista Sueli Pereira da Silva, quarta colocada na última São Silvestre (SP), foi flagrada em um exame antidoping e está suspensa por quatro anos.

Aos 39 anos, a punição praticamente encerra a carreira da brasileira, que testou positivo para a substância Eritropoietina (EPO), um hormônio sintético, exatamente na disputa da corrida em São Paulo, em dezembro do ano passado.

Após o flagra na São Silvestre, um novo exame foi feito na competidora dias depois, durante a disputa da Corrida de Reis, em Cuiabá (MT), e a substância voltou a aparecer no teste de Sueli.

O EPO aumenta a capacidade aeróbica e o rendimento esportivo. Esse é o segundo flagra do país em exames antidoping no ano, já que a velocista Ana Cláudia Lemos foi pega com um esteróide. A competidora solicitou uma contraprova, que ainda está sob análise.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos