Em treino sem Gum, Marlon vai para o time titular e Levir indica 4-4-2

A sexta-feira santa exigiu trabalho sagrado dos jogadores do Fluminense, que visam a primeira vitória na Taça Guanabara (segunda fase do Campeonato Carioca). A dois dias do duelo com o Boavista, pela terceira rodada, o técnico Levir Culpi promoveu dois mini-coletivos simultâneos. A baixa do dia foi o zagueiro Gum. Ele sentiu dores no ombro esquerdo e fez tratamento no Departamento Médico. Só neste sábado é que saberá se vai ou não para o confronto.

Em um dos lados do campo, Levir colocou todo o sistema defensivo para encarar os atacantes reservas. A formação teve Jonathan, Marlon (substituto provisório de Gum), Henrique e Wellington Silva; Pierre e Cícero. Na outra metade do gramado, Gerson, Gustavo Scarpa, Osvaldo e Fred tiveram a companhia do volante Edson, no embate com os defensores suplentes. Assim, é possível que este último seja utilizado no decorrer do jogo no Los Larios Na sequência, o treinador pôs os volantes titulares atuando junto com os meias a atacantes da equipe principal.

O esquema armado indicou a formação de uma dupla (Osvaldo/Fred) na frente, ao invés do trio de meias com um jogador isolado adiante, algo já utilizado diante do Internacional, quando Magno Alves substituiu o camisa 9 (suspenso). Richarlison, que segue se recuperando de uma lesão no tornozelo esquerdo, deu voltas no campo.

Fluminense e Boavista medem forças no domingo, às 18h30, em Xerém, Duque de Caxias. O Tricolor vem de dois empates no Estadual, contra Botafogo e Flamengo, respectivamente. Na Primeira Liga, o Flu eliminou o Inter, no meio da semana, e avançou para a final do torneio, contra o Atlético-PR.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos