Após sair na frente, Brasil sofre pressão do Uruguai e empata em Recife

O frevo estava desenhado na Arena Pernambuco. Início avassalador, adversário na roda, dois gols de vantagem no placar. Vitória no papo, certo? Faltou combinar com Cavani, Suárez e o sistema defensivo brasileiro, sobretudo com David Luiz.

As falhas inpiduais e um péssimo segundo tempo foram determinantes para o empate em 2 a 2. Com oito pontos e em terceiro, Dunga já vê um cenário bem obscuro para a partida contra o Paraguai, na terça-feira. Sem Neymar e com todo mundo no bolo, a Seleção pode terminar essa etapa das Eliminatórias fora da zona de classificação para a Copa.

Os primeiros 45 minutos pareciam um céu de brigadeiro verde e amarelo. Afinal a Seleção abriu o placar com Douglas Costa com 40 segundos de jogo. Com a defesa reserva praticamente reserva, os uruguaios davam generosos espaços para a equipe de Dunga.

Com uma grande atuação do meio para frente, o Brasil criava uma chance atrás da outra. O segundo gol, com passe de Neymar e grande drible e gol de categoria de Renato Augusto, dava a impressão que o Uruguai dançaria o frevo da goleada na Arena Pernambuco.

Mas a história mostra que nossos vizinhos costumam contrariar a regra aqui dentro. E se grande parte das escolhas de Dunga se mostravam acertadas, outras já merecem ser repensadas. E foi pela péssima atuação do lado esquerda da defesa brasileira, que o Uruguai começou a mudar o roteiro do clássico. Primeiro na falha de marcação de Filipe Luís e David Luiz que resultou no gol de Cavani.

Veio o segundo tempo e Suárez, que estava sumido, aproveitou nova falha do camisa 4 brasileiro e de Alisson para decretar o empate.

A verdade é que o Brasil, que praticamente jantou o adversário no primeiro tempo, quase saiu derrotado. Para piorar, Neymar está suspenso não enfrenta o Paraguai.

Dunga sempre fala que futebol é momento. Por isso, é preciso rever alguns conceitos, sobretudo na defesa. As vaias foram merecidas.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 2 x 2 URUGUAI

Local: Arena Pernambuco, em Recife (PE)

Data-Hora: 25/3/2016 - 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Néstor Fabián Pitana (Fifa-ARG)

Auxiliares: Juan Pablo Belatti (Fifa-ARG) e Ezequiel Darío Brailovsky (Fifa-ARG)

Renda e público: R$ 4.961.890,00 e 45.010 presentes

Cartão Amarelo: Suárez (URU); Neymar, Daniel Alves, David Luiz (BRA)

Cartão Vermelho: -

Gols: Douglas Costa, 1'/1ºT (1-0), Renato Augusto, 26'/1ºT (2-0), Cavani, 32'/1ºT (2-1) e Suárez, 3'/2ºT (2-2)

BRASIL: Alisson, Daniel Alves, Miranda, David Luiz E Filipe Luís; Luiz Gustavo, Fernandinho (Philippe Coutinho, 21'/2ºT) e Renato Augusto; Douglas Costa (Ricardo Oliveira, 32'/2ºT), Willian (Lucas Lima, 39'/2ºT) e Neymar - Técnico: Dunga.

URUGUAI: Muslera, Fucile, Coates, Victorino e Álvaro Pereira; Arevalo Rios, Carlos Sánchez (Stuani, 35'/2ºT), Vecino e Cristian Rodríguez (Álvaro González, Intervalo); Suarez e Cavani - Técnico: Óscar Tábarez.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos