Palmeiras diz que Mancha invadiu a Academia e atrapalhou o treino

O Palmeiras se manifestou na tarde deste sábado sobre a reunião entre membros da Mancha Alviverde e alguns jogadores do clube, que ocorreu pela manhã, na Academia de Futebol. O texto diz que os uniformizados forçaram a entrada e atrapalharam a atividade comandada por Cuca. A diretoria ainda promete conversar com Federação Paulista, Polícia Militar e Ministério Público para evitar novos "fatos lamentáveis".

"A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público repudiar a ação da Mancha Verde, que invadiu a Academia de Futebol na manhã deste sábado (26). Os integrantes da organizada forçaram a entrada e atrapalharam o último treino da equipe antes da partida diante do Água Santa, válida pela 12ª rodada do Campeonato Paulista 2016", diz a nota oficial.

Mais cedo, a Mancha Alviverde publicou um texto em tom diferente, dizendo que houve um bate-papo produtivo e prometendo apoio para que o clube saia da crise.

"Hoje pela manhã nossa diretoria teve uma conversa produtiva com parte do elenco e comissão técnica do Palmeiras. Esperamos que todos os problemas sejam resolvidos em campo e os resultados positivos voltem a aparecer. Quanto a nossa parte, continuaremos fazendo e apoiaremos o Palmeiras para que os objetivos do ano sejam alcançados. Juntos somos muito mais fortes", escreveu a Mancha.

Uma vez que entraram no CT, os torcedores tiveram acesso aos jogadores e membros da comissão técnica. Pessoas ouvidas pelo LANCE! disseram que o papo foi pacífico e que até o conteúdo do áudio anônimo que vazou nesta semana nas redes sociais foi pauta da reunião. O autor diz que Fernando Prass, Zé Roberto e Robinho são os pivôs de um racha no elenco, algo que irritou muito os jogadores e foi negado por eles.

Veja a íntegra da nota oficial do Palmeiras:

A Sociedade Esportiva Palmeiras vem a público repudiar a ação da Mancha Verde, que invadiu a Academia de Futebol na manhã deste sábado (26). Os integrantes da organizada forçaram a entrada e atrapalharam o último treino da equipe antes da partida diante do Água Santa, válida pela 12ª rodada do Campeonato Paulista 2016.

Reiteramos que todo torcedor, organizado ou não, tem total direito de vaiar, cobrar ou reclamar, desde que não aja com violência a pessoas ou patrimônio do clube. Reuniões com elenco e comissão técnica são prerrogativas exclusivas da diretoria de futebol e da presidência do clube.

Diante da prática de se invadir o ambiente de trabalho de profissionais e estatutários na Academia de Futebol, o comando do Palmeiras irá estudar com Federação Paulista de Futebol, Comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo e Ministério Público atitudes para que fatos lamentáveis como os de hoje não voltem a acontecer.

Por fim, essa gestão, com todos seus erros e acertos, deixa claro que não admite que ninguém venha a ferir a autonomia do clube e jamais se dobrará a qualquer tipo de pressão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos