No Morumbi, são-paulinos protestam contra Capez e obras no Metrô

A principal torcida organizada do São Paulo chegou ao Morumbi cerca de 1h30 antes da partida contra o Trujillanos, da Venezuela, nesta terça-feira e protestou contra vários assuntos diferentes. Os principais alvos dos uniformizados foram Paulo Castilho, promotor, e Fernando Capez, Deputado acusado de roubar merendas. 

Tópicos como as obras atrasadas do no Metrô do Morumbi, Federação Paulista de Futebol e a Operação Lava-Jato também foram citados.Mais de 200 pessoas se juntaram para entoar os seguintes cantos: 

''Capez, se orienta, roubou dinheiro das crianças e da merenda'' e ''acabou o caô, cadê meu metrô''. Além de ''Não é ladainha, foi o Capez quem roubou as criancinhas'', "Boi, boi do Tocantins, foi o Capez quem roubou o leite Ninho" e "Essa é de rir! Cadê nosso metrô que não chegou no Morumbi" 

Além de Deputado, Fernando Capez também é presidente da Assembleia Legislativa e, desde os anos 1990, luta contra as torcidas organizadas. Marco Polo Del Nero, presidente licenciado da CBF também entrou na rota dos protestos. 

A Polícia Militar monitorou de perto a reivindicação pacífica e não houve nenhuma confusão registrada. Como aconteceu antes da partida, os uniformizados atraíram a atenção de torcedores comuns, que se juntaram a eles e entoaram ainda mais músicas, dessa vez contra o ''futebol moderno'' e até mesmo ''não vai ter golpe'', em clara referência ao momento político atravessado pelo Brasil. 

Encerradas as reivindicações, os torcedores passaram a apoiar o São Paulo antes da partida. Foram vendidos 16 mil ingressos antecipadamente e a expectativa do clube é de atrair cerca de 20 mil tricolores para o duelo crucial contra os venezuelanos do Trujillanos nesta terça-feira.  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos