Polícia divulga retrato de idoso morto em briga de torcidas na Zona Leste

O corpo do homem assassinado na briga entre as torcidas de Corinthians e Palmeira no dia do clássico ainda não foi identificado. Na esperança de encontrar algum familiar ou conhecido da vítima, a Polícia Civil pulgou nesta quarta-feira um retrato falado do homem. 

A vítima não participou da briga. Ela estava nos arredores da Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, em São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo, por volta das 10h de domingo, quando corintianos munidos de paus, pedras e rojões entraram em conflito com palmeirenses. O homem foi alvejado no peito e socorrido no local, mas não resistiu.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 63º DP, no bairro da Vila Jacuí, e obtido pela ESPN, o idoso era "branco, calvo, grisalho e porte médio para gordo" e tinha cerca de 60 anos. A polícia ainda desconhece a origem do disparo e irá utilizar imagens das câmeras de segurança para investigar o caso. 

Há pressa para identificar o corpo. Geralmente, nos casos em que a vítima não é reconhecida após o prazo de 72h, o Instituto Médico Legal (IML) pode sepultá-la como "corpo desconhecido não-reclamado". Diante da repercussão, contudo, as autoridades aguardarão mais tempo, com a expectativa de que a imagem pulgada ajude a obter mais informações sobre o homem. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos