Pelé exime Dunga por má-fase da Seleção Brasileira: 'Não tem culpa'

  • Jorge Araujo/Folhapress

Na contramão do clamor popular que exige a saída de Dunga do comando da Seleção Brasileira, Pelé acredita que a culpa pelos problemas do Canarinho não é responsabilidade do treinador. Em evento realizado nesta quinta-feira, em São Paulo, o tricampeão mundial eximiu Dunga e creditou a má-fase da equipe à atuação ostensiva dos empresários, e ao grande número de atletas que deixam o País para atuar no Velho Continente.

"Acho que o Dunga não tem muita culpa. A Seleção tem dificuldade porque os empresários têm direitos demais sobre os jogadores. No meu tempo, eles não mandavam tanto nos jogadores. Além disso, poucos iam jogar na Europa, e quando iam, havia reposição. Agora, infelizmente não temos tempo para a Seleção, não temos tempo para treinar porque a maioria joga lá fora. Isso complica muito e faz o futebol brasileiro passar por esta fase", disse o Rei.

Nesta quinta, em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, Pelé foi ao Clube Esperia fazer uma doação de R$ 15 mil em equipamentos esportivos à Associação Desportiva de Deficientes (ADD). O Rei recebeu homenagens, assistiu a um jogo da equipe Magic Hands, de basquete de cadeira de rodas, tirou fotos com crianças e paratletas e também atendeu os jornalistas. 

Questionado sobre uma possível ida de Tite para a Seleção, a fim de tentar melhorar o desempenho nas Eliminatórias e encaminhar a vaga na Copa do Mundo da Rússia, Pelé defendeu a continuidade do trabalho de Dunga.

"Eu gosto dos dois, acho que os dois são ótimos. Mas Dunga não tem culpa nenhuma do que está acontecendo", reiterou.

O maior jogador de todos os tempos se mostrou chateado com o escândalo de corrupção que atravessa o Brasil e a CBF, principalmente porque o povo brasileiro ainda está fragilizado pelo 7 a 1. Pelé afirma que as notícias mancham a boa imagem do País que o futebol ajudou a construir. 

"É bem difícil para um brasileiro que é parte do futebol sair pelo mundo e, em todo lugar que chega, até em países onde o futebol não é um grande esporte, as pessoas dizem "que pena o que aconteceu no Brasil". Infelizmente isso vem logo após nossa derrota na Copa do Mundo para a Alemanha, é difícil para nós, brasileiros", avaliou o craque.

Pelé contou como sua geração colocou o Brasil no mapa mundial através do futebol e se mostrou preocupado que os problemas políticos atrapalhem o trabalho construído ao longo das últimas décadas.

"Ainda me lembro, e vou falar isso com orgulho para quem quiser ouvir, quando a gente foi para a Copa do Mundo de 1958. Eu tinha 17 anos. Na Suécia, ninguém sabia onde era o Brasil. A maioria do pessoal confundia com Argentina e Uruguai. Aí eu falava que não tinha nada a ver. De 58 para cá, o Brasil passou a ser o país mais conhecido do mundo por causa do futebol. E infelizmente hoje a gente tem uma administração que acaba estragando o trabalho maravilhoso que o futebol fez pelo Brasil. A corrupção atrapalha. Mas se tudo der certo, a gente vai corrigir isso", completou Pelé.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos