Tite pede maturidade nas finais, mas não foge de elogios: 'Tenho que curtir'

Dono da melhor defesa, do segundo melhor ataque e do saldo de gols mais amplo do Campeonato Paulista, o Corinthians avançou às quartas de final como a melhor campanha, com 35 pontos somados em 15 jogos e aproveitamento de quase 78% dos pontos. Neste domingo, goleou o Novorizontino por 3 a 0 e melhorou suas marcas na competição estadual pela qual enfrenta agora o Red Bull Brasil, pelas quartas de final. Sem realizar projeções em relação ao compromisso do próximo fim de semana, o técnico Tite mostrou-se satisfeito em relação ao rendimento de sua equipe ao longo da primeira fase, mesmo após a debandada que tirou seis titulares campeões brasileiros em dezembro do ano passado.

- Não dá para projetar o jogo com o RB Brasil ainda. Quero enaltecer o trabalho da equipe toda, o número de atletas que utilizamos. Eu me sinto no dever de passar ao torcedor minha gratidão em relação ao trabalho realizado. Melhor defesa, melhor saldo, disciplina... Para quem está se reformando é bom. Agora, que o torcedor venha nos apoiar no domingo. Uma equipe pronta precisa de 40 ou 50 jogos, digo isso de uma maneira tranquila. A equipe precisa do apoio do torcedor porque não está madura ainda - afirmou o treinador, que tocou no assunto maturidade persas vezes em sua entrevista coletiva após a goleada na Arena Corinthians.

- Agora é apressar um processo de maturidade, emocional, gelo, a bola não pode queimar no pé, o torcedor grita e nós pedindo calma aos companheiros. É assim, e disso que precisamos - entende Tite.

Durante a entrevista, o técnico do Corinthians realizou persas citações. Ele disse ter utilizado ensinamentos do lateral alemão Lahm na preleção antes do jogo contra o Novorizontino e ainda afirmou ter lido recentemente as biografias de Carlo Ancelotti e Pep Guardiola. Dos consagrados treinadores, trouxe ensinamentos sobre a necessidade de união de comissão técnica e jogadores em busca de vitórias e do jogador campeão mundial em 2014 a importância de aprender com os erros em nome do crescimento. Lahm foi citado, inclusive, em uma das perguntas sobre Seleção Brasileira feitas ao treinador do Corinthians, que segue ignorando o clamor popular em seu objetivo de seguir o trabalho no clube.

- Eu não tenho mais absolutamente nada a me manifestar. Estou feliz no Corinthians, preciso estar atento ao processo de maturidade da equipe. Hoje usei frase do Lahm no Bayern, ele tem 19 títulos lá e sempre usa o verbo aprender. Nós no Corinthians queremos aprender para crescer - disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos