Roger trabalha para que Grêmio tenha a bola no pé contra a LDU

Roger Machado já sabe o que deseja da equipe do Grêmio diante da LDU na quarta-feira, em Quito: posse de bola e toques curtos. Para diminuir os efeitos da altitude - o Estádio Casa Blanca está localizado a 2.8 mil metros acima do nível do mar -, o elenco do Tricolor está trabalhando em Quito desde a última quinta-feira, dia 7, e os jogadores já entenderam a vontade do treinador.

- É a terceira vez que jogo na altitude, joguei duas vezes no México. É o trabalho que o Roger fez, bola no pé. Se tocar do lado e botar para correr, vai ser difícil, não estamos acostumados - disse o atacante Bobô ao "Zero Hora".

Roger Machado tem comandado as atividades do Grêmio no CT que pertence à Federação Equatoriana de Futebol. O treinador vem cobrando muita movimentação e intensidade durante os trabalhos em Quito, para que o jogador com a bola sempre tenha uma opção de passe curto.

Os atacantes Bobô e Luan, que chegaram ao Equador com dores musculares, foram poupados das atividades mais pesadas nos primeiros dias no país, mas já estão liberados pelo departamento médico e não preocuparam para o jogo.

O volante Walace, por sua vez, segue com dores no tornozelo direito e é a principal preocupação de Roger Machado, que já não com o titular Maicon. Edinho e Kaio, de 21 anos, são os volantes que compõem o elenco gremista.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos