Ex-UFC critica falta de liberdade de expressão dos atletas na franquia

Com a chegada da Reebok ao UFC, muitos lutadores tem perdido muito dinheiro, já que não podem mais exibir seus patrocinadores pessoais durante a semana da luta e dentro do octógono. Os atletas que permanecem no Ultimate se tem se queixado bastante com a perda de patrocínios, já que só recebem por luta e muitos tem ido lutar em organizações rivais, como Phil Davis, Ben Henderson, Matt Mitrione, entre outros.

Muitos lutadores que vem optando por serem seus próprios agentes tem encontrado benefícios e não abrem mão da liberdade, até mesmo de expressão.

É o caso do ex-lutador do UFC, Matt Mitrione, que deixou o Ultimate e assinou com o Bellator e não se arrepende nem um pouco, mesmo aos 37 anos, conforme revelou em entrevista ao programa "Inside MMA".

- A maior questão em sair do UFC não é apenas a grana, mas sim a liberdade de poder ir atrás do seu dinheiro. É poder se expressar livremente. Ter a possibilidade de dar uma opinião sem medo de perder seu bônus que pode acabar não aparecendo. Quem são eles para tirar o meu dinheiro, a grana do meu patrocínio, e fazer isso sem ter ao menos uma conversa? Nós não brigamos para ter um grande salário no contrato porque o dinheiro do patrocinador sempre foi muito mais alto. E do nada, isso foi tirado de nós, sem que a gente tivesse voz alguma - criticou o peso-pesado.

Matt Mitrione construiu um cartel com nove vitórias e cinco derrotas e não luta desde janeiro, quando acabou nocauteado por Travis Browne, em sua despedida do Ultimate.

O americano ainda não tem data nem adversário definido para enfrentar em sua estreia no Bellator, maior concorrente do Ultimate na atualidade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos