Na despedida da Liberta, Peñarol, com reservas, vence a primeira

Nesta terça-feira, os reservas do Peñarol conseguiram o que os titulares tentaram durante cinco rodadas sem sucesso: uma vitória no Grupo 4 da Libertadores. E foi com muita emoção. Depois de um primeiro tempo horroroso,  quando foi para o vestiário perdendo por 3 a 1, o Peñarol B voltou outro na etapa final e, com duas substituições muito felizes - as entradas de Palácios e Novik -  conseguiu virar para 4 a 3.

Com o resultado, o Peñarol encerrou a participação com cinco pontos, deixando a lanterna para o Sporting Cristal, com quatro. Os classificados do grupo foram Atlético Nacional-COL e Huracán-ARG, que  empataram em 0 a 0 em Medellín. Os colombianos terminaram com 16 pontos e o Huracán, com oito.  

O JOGO

?

O Cristal entrou em campo com chance de classificação. Mas precisava golear para tirar a diferença de gols a favor do Huracán (que precisava perder). E o time peruano não acreditava que estava diante do Peñarol. O titã uruguaio não conseguia sair para o ataque e foi presa fácil no primeiro tempo, impondo seu ritmo e chegando ao primeiro gol aos 18 minutos. Após escanteio, o zagueiro Alberto Rodríguez acertou bela cabeçada quase na marca do pênalti.

Aos 23, veio o segundo gol de Rodríguez. Após cobrança de escanteio pela esquerda, o goleiro Frascarelli deu rebote nos pés do zagueiro que, dentro da área, chutou para o gol. Aos 29, no primeiro bom ataque dos uruguaios, Luiz Aguiar recebeu na entrada da área e chutou com força para fazer um bonito gol, o seu segundo na Libertadores. Isso animou o time da casa e a diminuta torcida e no minuto seguinte o time quase empatou, mas Penny fez ótima defesa e manteve a vantagem dos visitantes.

Porém, a fraqueza do Peñarol B era gritante um novo erro de marcação aos 34 minutos gerou o terceiro gol do Cervejeiros. Ávila recebeu livre, entrou na área e tocou na saída do do goleiro Frascarelli. 

No segundo tempo, com Palácios no lugar de Murillo no ataque,  o Peñarol mudou da água para o vinho. Logo no primeiro minuto, em cobrança de falta, Valverde obrigou o goleiro Penny a fazer linda ponte mandando a bola para escanteio. Foi um bom cartão de visitas. Muito ligado (e até violento nas pididas)  Palácios quase marcou aos seis minutos e obrigou o treinador Mariano Soso  a reforçar a defesa  peruana para suportar a pressão e  buscar nos contra-ataque a oportunidade para ampliar .

Só que o Peñarol queria se despedir de forma digna, seguiu em cima e uma nova alteração, a entrada de Novick, foi certeira.  Aos 27 minutos, Palácios recebeu pela direita, dentro da área e chutou. O goleiro Penny deu rebote e Novick aproveitou a sobra para fazer seu primeiro gol na partida. 

Vencendo por apenas 3 a 2 e sabendo que em Medelín o Atlético Nacional ficava no modorrento 0 a 0 com o Huracán, o Sporting Cristal entregou os pontos. E seus jogadores viram em campo  Palácios e Novick tabelarem como se estivessem treinando. Novick, livre na área, chutou para empatar a partida e colocar a pá de cal no sonho peruano de avançar às oitavas.

Aos 40, depois de boa jogada de Novick pela direita, Palácios furou a bola na cara do gol, mas Albarracín estava atento e mandou para a rede, virando o placar para alegria da torcida, que apoiou o time durante todo o jogo, mesmo no pífio primeiro tempo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos