Diretor do São Paulo nega busca por goleiro e vai à Conmebol por Calleri

A diretoria do São Paulo segue com discurso de que não vai contratar um novo goleiro, mesmo após a expulsão de Denis no empate em 1 a 1 com o The Strongest (BOL), na última quinta-feira. No desembarque da delegação no Brasil nesta sexta-feira, após a classificação na Libertadores, o diretor-executivo Gustavo Vieira de Oliveira falou sobre o assunto. Portanto, pelo que disse o dirigente, o goleiro no jogo de ida das oitavas de final contra o Toluca (MEX), na próxima quinta-feira, será Léo ou Renan Ribeiro.

- Não está em discussão (contratar goleiro), não está - resumiu o dirigente.

Gustavo também comentou sobre a expulsão de Calleri. O dirigente lamentou o cartão vermelho para o argentino, dado pelo árbitro após a partida, e disse que o clube tomará as providências na Conmebol para anular a suspensão do atacante.

- Foi um ato injusto, diante dos fatos praticados pelo Calleri. Temos essa convicção, vamos levar nossa convicção nesse sentido. Muita das iniciativas são tomadas logo, e depois iniciativa formal quando assim chamado, no seu tempo. O São Paulo vai tomar as iniciativas que entendem eficazes para levar a reclamação sobre algo que entende injusto - analisou o diretor.

Calleri foi expulso por provocar os jogadores bolivianos, de acordo com o delegado da partida, após o jogo. O são-paulino foi agredido duas vezes na confusão que se formou após o apito final e teve de ser protegido pelos companheiros. Ele é o artilheiro do time na Libertadores, com oito gols marcados, o recorde na história do clube em uma competição, também alcançado por Luis Fabiano, que fez oito em 2004.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos