Prefeito do Rio apresenta plano operacional dos Jogos e lamenta atraso em obra

A Olimpíada do Rio de Janeiro nunca esteve tão perto. A 100 dias da abertura dos Jogos, a cidade carioca já começa a viver o clima do evento. Nesta quarta-feira, o prefeito Eduardo Paes anunciou o plano operacional que será posto em prática em agosto, além de mostrar preocupação com a obra do Velódromo.

A construção da instalação que receberá o ciclismo de pista nos Jogos apresenta 85% de conclusão e, a 100 dias do evento, o prefeito acredita que tudo estará pronto de 30 a 40 dias.

- A obra que tivemos problemas e escorregou o prazo é o Velódromo. A pista está praticamente pronta. Temos 30 a 40 dias de obra intensa, mas estão dentro da programação e até um pouco adiantada na reprogramação - comentou Paes.

O atraso nas obras do local, inclusive, fez com que o Comitê Rio-2016 tivesse de cancelar o evento-teste do ciclismo, marcado para o último mês. Já o restante do Parque Olímpico, segundo Paes, está 98% finalizado.

O prefeito aproveitou a entrevista para anunciar o plano operacional da cidade para a Olimpíada, que terá a Cerimônia de Abertura no dia 5 de agosto. Durante os Jogos, por exemplo, o Rio de Janeiro terá três feriados, nos dias 5, 18 e 22.

Além disso, Paes anunciou a criaçao de um corredor BRT ligando a Barra da Tijuca ao Centro, passando pela Zona Sul, que será de uso exclusivo para o evento e funcionará entre os dias 6 e 20 de agosto, das 00h às 2h.

Durante os Jogos, o Rio de Janeiro terá dois "Live Sites", que serão grandes espaços para eventos gratuitos abertos ao público. Nos locais será possível acompanhar a transmitirão ao vivo das competições olímpicas, além de shows e apresentações de artistas nacionais. Os espaços ficarão na Praça Mauá e no Parque Madureira.

Problemas no país não preocupam o prefeito

Um dos maiores problemas que cerca a Olimpíada do Rio de Janeiro atualmente não diz respeito à atrasos de obras ou problemas operacionais. A crise financeira e política do país é um dos principais tópicos de discussão no Brasil, mas não preocupa o prefeito do Rio.

- Tenho convicção de que a crise econômica não atrapalhou e não vai atrapalhar. A crise política não tem relação com as Olimpíadas - afirmou.

Hoje, a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, vive um processo de impeachment, aguardando a votação no Senado, que pode confirmar seu afastamento por 180 dias.

Além disso, nessa semana será instalada na Câmara Municipal a CPI da Olimpíada, com o objetivo de investigar os contratos firmados entre a prefeitura e as construtoras com obras ligadas direta ou indiretamente aos Jogos.

Outro fato que chamou a atenção na reta final de preparação olímpica foram os apagões em arenas. Durante os eventos-teste da natação e ginástica artística, os ginásios sofreram com quedas de energia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos