Velasquez admite diminuir sparrings para evitar lesões antes do UFC 200

Com apenas uma luta realizada em quase três anos, Cain Velasquez vem batalhando fora do octógono contra uma série de lesões que o tem mantido afastado dos cages do UFC. O americano não compete desde janeiro de 2015, quando acabou derrotado por Fabricio Werdum e perdeu o cinturão dos pesados.

O ex-campeão tem compromisso agendado para o UFC 200, que acontece em 9 de julho, em Las Vegas (EUA) e não quer saber de se lesionar novamente e deixar o duelo contra Travis Browne.

Para isso, o lutador garantiu que tomará algumas precauções para evitar novas lesões que estão atrapalhando o desenrolar de sua carreira e uma nova corrida pelo cinturão dos pesados, conforme revelou em entrevista ao canal "Fox Sports".

- O principal agora é chegar à luta. Ouvir o meu corpo. Não quero ficar fora, preciso me manter ativo. Quero lutar, esse é o meu emprego e quero fazê-lo. Fazer sparring três vezes por semana não é tão bom para mim quanto para um cara que está chegando no esporte agora. Acho que vou diminuir para dois dias por semana, talvez um só - disse Cain.

Na luta principal do UFC 200, Jon Jones e Daniel Cormier se enfrentam pela unificação do cinturão dos meio-pesados. O evento ainda contará com outras duas disputas de título: Miesha Tate vs. Amanda Nunes no peso-galo e José Aldo vs. Frankie Edgar, pelo cinturão interino dos penas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos